(31) 3444-4794 | Secretaria Executiva

exposibram2017@eticaeventos.net.br

NOTÍCIAS

 

Diretor do Instituto Votorantim fala sobre criação da agenda social

20.9.2017

 

Alcançar o desenvolvimento sustentável é uma meta que a indústria da mineração vem se propondo a cumprir ao longo das últimas décadas. Exemplos dessas contribuições e esforços locais estão contidos na versão brasileira do “Atlas: Mapeando os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável na Mineração”, lançado pelo Ministério de Minas e Energia e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). O documento destaca a atuação do setor na Agenda 2030, com informações sobre as atividades de mineração em consenso com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

 

Entre os destaques está o Programa de Apoio à Gestão Pública (AGP), desenvolvido pelo Instituto Votorantim, que o diretor da entidade, Cloves Carvalho,apresentou durante o painel “Mineração e os ODS”, no segundo dia do 17º Congresso Brasileiro de Mineração, que integra a programação da EXPOSIBRAM 2017.

 

Consolidar parcerias

 

Segundo o gestor, para que seja possívelpromover ações efetivas de promoção do desenvolvimento é preciso consolidar parcerias e manter diálogo com outros setores da indústria, do governo, da sociedade civil e comunidades locais.

 

“A Votorantim está presenteem 413 municípios do Brasil e atua em cerca de 200 de maneira mais efetiva. Cada um possui uma realidade diferente. Então, se você gera um impacto positivo naquela localidade, é preciso usar uma linguagem comum, chancelada internacionalmente. Assim, fica mais fácil estabelecer um diálogo, entender a realidade e ajudar a priorizar uma agenda social para investimentos de médio e longo prazo”, afirmou Carvalho, referindo-se aos ODS.

 

O AGP prima pela robustez metodológica e atua em campo por meio de equipes de desenvolvimento da gestão pública, de forma que os investimentos locais não só gerem riqueza, mas prosperidade. “Assim, conseguimos sair daquele modelo antigo em que se injetavam recursos, mas não transformávamos a realidade da população local. Hoje, basicamente, definimos o investimento de acordo com as necessidades locais (saúde, saneamento, educação). Os ODSnos ajudam com uma linguagem comum para ajudar a engajar a população, que é a grande protagonista disso tudo, representada pelo gestor público”, concluiu.

 

Segundo Carvalho, os resultados refletem no aumento substancial de normas e regulamentos que estimulam o ordenamento territorial e o desenvolvimento sustentável, bem como na estruturação das finanças públicas, por meio da captação de recursos e controle orçamentário.

 

Governo e ONU defendem articulação com iniciativa privada a favor dos ODS

20.9.2017

 

Maior integração, compartilhamento de sinergias e definição de métricas relativas aos resultados da implantação dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável(ODS), da Organização das Nações Unidas (ONU). Essas foram, em linhas gerais, as proposições dos integrantes do painel “Implementação dos ODS: como as partes interessadas no setor de mineração se prepararam para lidar com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, realizado no segundo dia do 17º Congresso Brasileiro de Mineração, que integra a programação da EXPOSIBRAM 2017.

 

O Ministério das Minas e Energia está interessado em promover a articulação entre as empresas de mineração, como disse Maria José Gazzi Salum, diretora de Desenvolvimento Sustentável na Mineração, Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral. Como ponto de partida desse movimento está a maior integração das ações entre o Ministério e o IBRAM, para se ter um visão global das iniciativas.

 

Criação de indicadores brasileiros

 

Maristela Marques Baioni, representante do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) no Brasil, também defende a articulação entre as instituições, o poder público e a iniciativa privada para ampliar e potencializar os resultados das ações transformadoras do ODS. “Temos atuado com bastante vigor nesta plataforma, no sentido de criarmos indicadores brasileiros, por meio de uma Comissão Nacional de ODS, e ter isso como norteador para o governo e a iniciativa privada.

 

Mediado pelo economista sênior e pesquisador político da Columbia University (USA), o painel contou, ainda, com representantes da Fundação Vale, Fundação Votorantim e Anglo American. Ruben Marcus Fernandes, presidente da Anglo American, acredita que as métricas podem contribuir para disciplinar e organizar a forma de atuar. Tendo como referência os indicadores clássicos, Fernandes acredita que a definição das métricas deve considerar critérios técnicos. “É preciso estabelecer indicadores, definir prioridades e parcerias”, observa.

 

O diretor-presidente do Instituto Votorantim, Cloves Otávio Nunes de Carvalho, acredita que a adesão aos ODS ajuda a organização a entender melhor a realidade das comunidades vizinhas, para cumprir seu papel de articulação. Também faz coro à necessidade de se buscar indicadores-padrão como contribuição ao esforço para a formação de um capital social nas áreas de atuação dessas organizações.

 

A representante da Fundação Vale, que atua na gestão de Responsabilidade Social e Sustentabilidade, LieselFilgueiras, disse que a articulação com as empresas do segmento é uma constante nos programas da Fundação, que tem como missão contribuir com o desenvolvimento dos território onde opera.

 

Congresso discute destinação de resíduos da mineração
20.9.2017

 

A gestão dos resíduos representa um dos principais desafios para a mineração. O setor tem agido firmemente para lidar com a eficiência no uso dos recursos e também para desenvolver e aplicar tecnologias que permitam o aproveitamento dos mesmos, de modo a alcançar um patamar de qualidade operacional que garanta a segurança da vida como um dos seus paradigmas. O assunto foi pauta do painel “Os desafios para a gestão de resíduos na mineração”, realizado no segundo dia do 17º Congresso Brasileiro de Mineração, que integra a programação da EXPOSIBRAM 2017. O painel teve a mediação do assessor especial para o Projeto Nova Mineração, da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais(Fapemig), Renato Ribeiro Ciminelli.

 

O encontro contou com a presença de Joe Cucuzza, diretor-geral da Amira International, associação responsável pelo desenvolvimento de projetos de pesquisa e de aplicação colaborativas em instalações industriais. Por meio desse processo, as empresas podem, conjuntamente, financiar pesquisas e compartilhar os benefícios trazidos pelos estudos, um modelo que tem apresentado resultados positivos na Austrália – um dos países mais competitivos no ranking da mineração mundial.

 

Sociedade apresentará demanda cada vez maior por minérios

 

Cucuzza falou sobre a geração de resíduos em escala mundial e das tendências para a indústria da mineração em relação ao assunto. Um importante ponto abordado tem a ver com a Licença Social para Operar e com o posicionamento da sociedade, que apresenta uma demanda cada vez maior por uma mineração com mínimo impacto ambiental, capaz de eliminar resíduos, maximizando o reúso e a reciclagem. “É preciso ‘reimaginar’ como será a futuro da mineração. Muitas mineradoras estão seriamente comprometidas com estas questões, mas elas usualmente caminham sozinhas, sem que haja um diálogo a respeito das práticas adotadas”, lamentou.

 

Em sua participação, o pesquisador da Embrapa Cerrado, Eder de Souza Martins, garantiu: “É preciso olhar a geração de resíduos como uma oportunidade”. O representante falou ainda sobre o uso de resíduos da mineração na agricultura e também sobre a agrogeologia– ciência que estuda processos geológicos que influenciam a distribuição e formação dos solos, bem como a aplicação de materiais geológicos em sistemas agrícolas e florestais como forma de manter e melhorar a produtividade do solo para o aumento dos benefícios sociais, econômicos e ambientais.

 

Dependência de 100% do potássio importado

 

“O resíduo deve ser sempre considerado como recurso. Precisamos promover uma aproximação maior entre a agricultura e a mineração. Somos extremamente dependentes de fertilizantes produzidos no hemisfério Norte – resultado, entre outras questões, do aumento do uso de fertilizantes nos últimos tempos, e nos tornaremos 100% dependente do potássio em breve”, alertou.

 

Ficou a cargo da engenheira Alessandra de Almeida, da Samarco, a apresentação sobre o trabalho que a empresa vem fazendo em relação aos rejeitos. Além de traçar um breve histórico da mineradora, lembrando que inovação e tecnologia sempre estiveram presentes nesta trajetória, a representante rememorou o rompimento da Barragem de Fundão, localizada no distrito de Bento Rodrigues (MG), em novembro de 2015. Como parte das ações de continuidade das ações de recuperação, Almeida citou a criação da Fundação Renova.

 

Rejeitos viram produtos úteis

 

Do ponto de vista da gestão de rejeitos, ela elencou os pilares considerados fundamentais – a redução dos resíduos, as formas de fazer sua disposição e seu aproveitamento em outros setores industriais, “para que deixem de ser rejeitos e se tornem recursos, sendo transformados em produtos como artefatos cerâmicos, pigmentos para tintas, ladrilhos hidráulicos, blocos pré-moldados etc”.

 

Um dos desafios para esta produção, de acordo com a engenheira, está relacionado à questão mercadológica e logística, além da atração de pequenos empreendedores nos arredores das minas.  “A China é um exemplo a ser seguido. Lá, o governo, a indústria e a academia estão envolvidos. É a união destes três setores que transforma a mineração. A cooperação é fundamental para o desenvolvimento”, afirmou.

 

AuthenticGames: youtuber Marco Túlio visita a EXPOSIBRAM 2017

20.9.2017

 

A tradicional Exposição Internacional de Mineração (EXPOSIBRAM), evento promovido pelo Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) a cada dois anos em Belo Horizonte (MG) recebeu ontem (19.9) a visita do youtuber Marco Túlio, do canal AuthenticGamespara conhecer um pouco mais sobre o setor mineral nacional e internacional.

 

Marco Túlio será um dos destaques da programação de hoje (20.9) da EXPOSIBRAM. Ele fará um show voltado aos fãs de Minecraft. O jogo eletrônico permite ao jogador construir ambientes com blocos por meio da extração de minérios.

 

O Diretor de Comunicação do IBRAM, Paulo Henrique Soares, afirma que essa é uma excelente oportunidade para que as crianças e adolescentes possam conhecer um pouco mais sobre a mineração industrial. “A atividade está 100% presente em nosso dia a dia e grande parte da população não tem conhecimento sobre os bens minerais. Vamos unir, durante a EXPOSIBRAM, um jogo popular entre as crianças e os adolescentes e uma atividade essencial para a vida moderna”, explica.

 

EXPOSIBRAM 2017

 

Com mais de 40 mil visitantes e 500 expositores, a EXPOSIBRAM e o Congresso Brasileiro de Mineração reúnem, a cada dois anos, centenas de empresários, representantes de organizações governamentais e privadas em um só lugar. Em 2017, os eventos entrarão em sua 17ª edição, que será realizada de 18 a 21 de setembro em Belo Horizonte (MG) pelo Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM).

 

Considerada uma das maiores exposições de mineração da América Latina, a EXPOSIBRAM conta com 13 mil m² de estandes, nos quais estão representadas as principais mineradoras com atuação global e grandes fornecedores de produtos e serviços. No espaço, serão apresentadas as principais novidades em tecnologia, equipamentos, softwares e outros produtos ligados à Indústria Mineral, além de dados sobre investimentos e gestão.

 

Realizado em paralelo à Exposição, o Congresso Brasileiro de Mineração atrai mais de mil participantes entre especialistas, pesquisadores, estudantes e representantes de empresas. Na programação estão palestras e debates sobre o contexto político e socioeconômico global, bem como as perspectivas dos negócios para as próximas décadas anunciadas pelas mineradoras.

 

Apoiadores e Patrocinadores

 

A EXPOSIBRAM 2017 conta, até o momento, com o patrocínio da  Vale (Diamante), Votorantim Metais (Diamante), da  Anglo American (Platina), da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração – CBMM (Ouro),  Kinross (Prata), da Anglogold Ashanti (Bronze),  do Banco Mercantil de Investimentos (bronze), da Gerdau (Bronze) e da Codemig (Especial).

 

O evento conta, até o momento, com o apoio editorial das Revistas Areia e Brita, Brasil Mineral, Enggineering and Mining Journal, Eae Máquinas, International Mining, Amazônia, M&T, Mineração e Sustentabilidade, Nueva Mineria y Energia, In The Mine, Rocas y Minerales, Minérios e Minerales, EBR, REM, Southern Pulse, Jornal De Fato, GBR e dos sites Conexão Mineral,  e Notícias de Mineração Brasil.

 

Figuram como apoiadores institucionais da 17ª edição da EXPOSIBRAM a Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), a Associação Brasileira do Carvão Mineral (ABCM), a Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), a Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração (ABM), a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), a Associação Brasileira de Engenheiros Eletricistas (ABEE), a Associação Nacional de Entidades de Produtores de Agregados para Construção Civil (Anepac), a Associação Paulista de Engenheiros de Minas (APEMI), Associação Paraense de Engenheiros de Minas (Assopem), Associação Brasileiro das Empresas de Pesquisa Mineral (ABPM), Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC) , a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Instituto Aço Brasil, o Sindicato da Indústria Mineral do Estado de Minas Gerais (Sindiextra) e a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), Federação das Associações de Engenheiros de Minas no Brasil (FAEMI).

 

Minecraft

 

Minecraft é um jogo eletrônico tipo sandbox que permite a construção usando blocos removidos e recolocados em outros lugares para criar construções. Além da mecânica de mineração e coleta de recursos para construção, há no jogo mistura de sobrevivência e exploração. Toda a criatividade em Minecraft deriva da ficção apresentada pelo jogo. Para construir algo a partir de blocos de madeira, é necessário antes cortar árvores. Para construir com pedra, é necessário antes minerar blocos do chão. As ferramentas criativas de Minecraft estão embutidas em seu mundo simulado.

 

AuthenticGames

 

O canal AuthenticGames foi criado em 2011 pelo interesse que Marco Túlio, um jovem garoto de Belo Horizonte (MG) , tinha em mostrar seus gameplays de Minecraft, inspirado pelo Youtuber Monark. O sonho tomou forma, ganhou proporções e hoje, com quase dez milhões de inscritos, o canal figura entre os melhores do Brasil e do Mundo. Com um alcance impressionante, recentemente ultrapassou a marca de um bilhão de visualizações. Em 2016 foi lançada a primeira unidade de da escola Happy Code by AuthenticGames e iniciada a turnê AuthenticGames o show, que será apresentado na EXPOSIBRAM.

 

Show Authentic Games – Festa dos Youtubers

 

Um dos maiores fenômenos da internet agora ao vivo: “Authentic Games – ao vivo” traz para os palcos toda a alegria e diversão de um dos maiores canais do youtube do mundo. Com muita música, vídeo, games e interatividade, Marco Túlio comandará um espetáculo que terá a presença de Authentic, Namorada Perfeita e toda a turma. Telões de led gigantes e um show de luz e imagem vão levar os maninhos e maninhas para uma viagem inesquecível e imperdível repleta de novidades, surpresas e emoção. Muito mais que um simples show, “Authentic Games: uma vida autêntica – o show” é um momento único para pais, filhos e toda a família.

 

Alcoa buscará reduzir custos para compensar alta nos royalties da mineração

19.9.2017

 

O presidente da Alcoa, uma das maiores produtoras de alumínio do mundo, Otávio Carvalheira, disse que a empresa está buscando formas de reduzir custos para compensar o aumento da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM)  determinado pela nova legislação mineral. Carvalheira, que participou ontem da abertura do 17º Congresso Brasileiro de Mineração e da EXPOSIBRAM – Exposição Internacional de Mineração, em Belo Horizonte, afirmou que a indústria foi surpreendida pela mudança da alíquota no meio do exercício fiscal. “A opção é buscar a redução de custos em outras frentes.”

 

Segundo Carvalheira, a indústria vive um momento de extrema pressão pelas condições de rentabilidade de um modo geral. “Estamos olhando todas as alternativas dentro da operação para viabilizar a compensação desse custo adicional. Nosso orçamento não contempla esse custo, que não foi previsto”, observa o executivo.

 

Ele lembra que tal medida causou surpresa ao grupo empresarial, pois a expectativa era de que a mudança na legislação fosse precedida de uma ampla discussão – e não arbitrada por meio de medida provisória. “São fatos inesperados que trazem impacto negativo às finanças da organização. Sem previsibilidade e segurança jurídica, teremos problemas para fazer a gestão do negócio”, afirmou.

 

Apesar das incertezas,  Carvalheira adiantou que há um movimento na Alcoa para buscar uma solução energética visando à retomada da produção de alumínio no Brasil. “A empresa continua comprometida em buscar uma solução que viabilize a produção de alumínio no Brasil”.

 

MPs trazem insegurança e reduzem competitividade, dizem executivos

Talk-show de abertura do evento destaca preocupação do setor de mineração com queda nos investimentos

19.9.2017

 

As inseguranças e expectativas frustradas em relação às medidas provisórias (MPs), que alteram o Código Mineral, encaminhadas pelo Executivo ao Congresso Nacional, foram a tônica do talk-show “Cenário político e econômico, atração de capitais no Brasil e no mundo”, que deu início às atividades do 17º Congresso Brasileiro de Mineração nesta segunda-feira, 18 de setembro.

 

Com mediação do jornalista William Waack, o encontro reuniu o diretor-executivo e consultor geral da Vale, Clóvis Torres; o presidente da Alcoa, Otávio Carvalheira; o presidente da Votorantim Metais, Tito Martins; a Diretora da Área de Acompanhamento do Mercado de Capitais e da Área de Investimento no Mercado de Capitais do BNDES, Eliane Lustosa; e o secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energia, Vicente Lôbo.

 

O risco à competitividade da mineração brasileira, alimentado, entre outros fatores, pelos altos custos da atividade, foi citado pelos mineradores como um dos pontos mais preocupantes. Na opinião deles, o impacto do recente aumento do royalty mineral torna o país menos atrativo e pode, inclusive, ser responsável pela paralisação de empreendimentos. Uma das MPs, a de número 789, elevou alíquotas e mudou a base de cálculo, provocando um brutal aumento na Compensação Financeira pela Exploração Mineral (CFEM), que é o royalty recolhido pelas empresas.

 

“O Brasil vem perdendo espaço para países com pouca infraestrutura, como a Guiné. Tudo o que vem acontecendo atrapalha a decisão por novos investimentos e faz com que as empresas optem por outros lugares”, explicou o presidente da Votorantim Metais, Tito Martins. Ele disse que a companhia tem interesse crescente por locais como o Peru, que apresenta menos interferência estatal nos negócios.

 

“Precisamos destravar o que limita o crescimento do setor no Brasil e favorecer o investimento”, afirmou o executivo da Vale, Clóvis Torres. De acordo com ele, “o Código é um conjunto de boas intenções, mas, sozinho (sem medidas acessórias contra os entraves, a exemplo do moroso licenciamento ambiental), trouxe dificuldades e, principalmente, custos para a atividade”, advertiu.

 

Otávio Carvalheira, presidente da Alcoa, foi ainda mais taxativo em relação ao assunto: “As medidas provisórias não agradam, principalmente a da CFEM, que impede a criação de um ambiente mais atraente para o capital estrangeiro”.

 

Já na avaliação do secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energia, Vicente Lôbo, as MPs tiveram a intenção de buscar a modernização pontual do Código e isso representa uma oportunidade para o setor, que é movido pela iniciativa privada. “O segmento tem agora uma grande chance de refletir sobre o que pretende fazer no médio e no longo prazo. É preciso, por exemplo, melhorar a interlocução com a sociedade”, disse.

 

Os participantes do setor privado também criticaram o licenciamento ambiental, taxado como “moroso, oneroso e desorganizado”. Uma sugestão veio do diretor-executivo da Vale: “O que gostaríamos é de ver os recursos financeiros da CFEM‘devolvidos’ para o setor, no sentido de ser possível direcionar esse dinheiro para se estruturar os órgãos de fiscalização e licenciamento”.

 

Tito Martins concordou e disse que se os órgãos fiscalizadores e reguladores funcionassem melhor, “mais de 50% dos problemas do setor acabam”. Segundo ele, há uma disparidade entre o que as mineradoras pretendem com seus empreendimentos e o que os técnicos daqueles órgãos compreendem – isso gera morosidade e custos em todo o processo de análise de projetos.

 

“Não se trata apenas do Código e, sim, da estrutura formal brasileira, que envolve também questões trabalhistas, tributárias, entre tantas. A gestão de todos esses fatores precisa ser mais eficiente” para que a mineração possa evoluir, alertou Tito Martins.

 

O BNDES, por sua vez, assegurou apoio financeiro ao setor. “Não faltarão recursos, principalmente para projetos competitivos. O futuro será guiado pela inovação e pela sustentabilidade, pela pesquisa e pelo investimento. É preciso caminhar nesta direção”, garantiu a diretora Eliane Lustosa.

 

BNDES diz que há recursos para financiar projetos minerais

19.9.2017

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) tem recursos para financiar empreendimentos minerais, desde que se mostrem competitivos, sustentáveis, contemplem inovações e prevejam comunicação ágil e transparente desses componentes à sociedade. Sem esses aspectos, não poderão contar com recursos públicos, disse a Diretora da Área de Acompanhamento do Mercado de Capitais e da Área de Investimento no Mercado de Capitais do banco, Eliane Aleixo Lustosa de Andrade. Ela participou de um talk-show no primeiro dia da EXPOSIBRAM 2017, um dos maiores eventos de mineração da América Latina.

Eliane Andrade disse que o BNDES ainda não prevê aceitar títulos de direito minerário como garantias reais nos financiamentos. Ela informou que o banco pretende enfrentar “o desafio de transformar este instrumento” em algo viável para facilitar a liberação de financiamentos. “Não dá para primeiro financiar e só depois discutir como vai executar a garantia”, ponderou.

 

Mineradoras alegam que já investem em inovação e sustentabilidade

 

Em resposta às condicionantes para obtenção de financiamentos junto ao BNDES, executivos de grandes mineradoras informaram que suas companhias já investem em inovação e em sustentabilidade. Eles dividiram o palco com Eliane, do BNDES durantetalk-show.

 

Otávio Carvalheira, CEO da Alcoa, disse que no seu projeto em Juriti (PA) conseguiu atingir redução de 25% de consumo de água, usando tecnologia, criatividade e a inovação desenvolvidas no país. “Aquela operação trabalha com 83,5% de recuperação da água que é captada no local do projeto”, citou. “Este é um exemplo de inovação conectada com a sustentabilidade”, completou.

 

Além disso, a mina em Juruti envolve todos os stakeholders (públicos de interesse) do empreendimento desde a concepção do projeto da mina. Este envolvimento e proximidade com a comunidade possibilitou que em Juruti a mina, inicialmente projetada para produzir 2,6 milhões de toneladas de bauxita, pudesse fechar este ano com a produção de 6,5 milhões de toneladas. “Vamos agora ampliar para 7,5 milhões de toneladas. Isso em completa harmonia com a comunidade”, afirmou o CEO da Alcoa.

O diretor executivo e consultor geral da Vale – e também presidente do Conselho Diretor do IBRAM –, Clovis Torres Junior, citou o exemplo do projeto S11D, no Pará.

“Ele tem 87km de correias transportadoras para não se usar caminhões – isso reduz a poluição, a emissão de carbono, a utilização de diesel e permite reutilizar 85% da água, via processamento a seco de minérios”, disse.

 

Em termos de inovação, Clovis mencionou o projeto-piloto de utilização de caminhões (com capacidade de 400 toneladas de carga) sem condutor humano nas minas; os veículos são controlados via satélite de uma central em Belo Horizonte (MG).

 

“O investimento das empresas mineradoras em inovação é muito grande; acompanho isso por meio do IBRAM, mas falta mais comunicação, ou seja, expor mais ao público o que fazemos”, afirmou.

 

Ele acrescentou que a Vale tem contrato de fornecimento de praticamente todo o níquel utilizado pela companhia Tesla, ícone do desenvolvimento de tecnologia para energia limpa. “A mineração faz parte desta cadeia produtiva da energia limpa”, disse.

 

Segundo Tito Martins, CEO da Votorantim Metais, a companhia investe em projetos que evidenciem a sustentabilidade, como os que reduzem a utilização de recursos hídricos no processamento de minérios. “No caso de barragens, por exemplo, desenvolvemos tecnologia para barragens a seco no Peru a décadas”, disse. Ele informou que o mesmo recurso poderá ser utilizado no Brasil.

 

17ª Exposibram homenageia engenheiro e economista Antônio Dias Leite Júnior

19.9.2017

 

A 17ª edição da EXPOSIBRAM homenageia o ex-ministro de Minas e Energia Antônio Dias Leite Júnior, falecido em abril deste ano, aos 97 anos. Engenheiro, economista e político, ex-presidente da então Vale do Rio Doce e professor emérito da UFRJ, Dias foi um importante protagonista no desenvolvimento do setor de minas e energia, fazendo história ao conduzir as negociações para concretização do projeto binacional da usina hidrelétrica de Itaipu, nos anos 1970.

Foi também responsável, na Fundação  Getúlio Vargas, pela primeira estimativa de renda nacional no Brasil, publicada em 1951. Teve papel centra na elaboração de projeto de lei que instituiu o incentivo fiscal para o reflorestamento, tendo, ainda, coordenado a constituição da companhia Aracruz.

Durante a solenidade de abertura da EXPOSIBRAM 2017 nesta segunda-feira (18), suas filhas Ana Luiza Dias Leite, Maria Cristina Dias Leite e Maria Tereza Dias Leite receberam, das mãos do Diretor Executivo e Consultor Geral da Vale e presidente do Conselho Diretor do IBRAM, Clovis Torres Junior, a homenagem. Ana Luiza afirma que, para Dias, a mineração era a riqueza do país e era no que ele pensava quando realizou os levantamentos da Amazônia (Projeto Radam) e da Plataforma Continental (Projeto Remac). “Tenho certeza que ele teria uma enorme satisfação, se estivesse aqui para receber esta homenagem”, declarou.

Mesmo com a idade avançada, Dias se mantinha ativo e continuava acompanhando o setor energético do país. O nome Dias Leite, ou o tratamento de simplesmente “Professor”, está associado a um alto conceito ético e a importantes conquistas no desenvolvimento nacional. Ele deixou um legado de sabedoria e perseverança contemplado em 19 obras, entre elas “A energia do Brasil” e “Meu século – Brasil em que vivi”, ambas lançadas este ano. 

 

AMC e REFLEX na Exposibram 2017

19.9.2017


Empresas apresentam produtos e serviços que estão revolucionando a mineração em todo o mundo


Entre os dias 18 e 21 de setembro, o Centro de Exposições Expominas, em Belo Horizonte (MG), vai reunir o que há de mais moderno dentro do setor de mineração. O Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), organizador do 17º Congresso Brasileiro de Mineração e da Exposição Internacional de Mineração (EXPOSIBRAM), espera receber 500 expositores e mais de 40 mil visitantes.


Duas empresas prometem surpreender os que passarem pelos stands T 53,55 e 57. Neste endereço, estarão a AMC Brasil e a REFLEX, ambas do grupo Imdex Limited, uma organização global que oferece soluções completas em fluidos, instrumentação e sondagem para perfuração. No Brasil, as duas empresas atendem juntas mais de três mil clientes.


Sistema para otimizar perfuração


Um dos destaques da AMC Brasil é o AMC BOS (Borehole Optimisation System, ou sistema para otimizar perfuração). Único na indústria de perfuração global, redefine a maneira como os profissionais podem assumir o controle da operação, proativamente. Também proporciona proteção para assegurar a estabilidade do furo, fazendo com que as operações sejam mais suaves e previsíveis, mesmo nas condições mais adversas.


O sistema AMC BOS UNIT™ compreende a ferramenta de perfuração que lubrifica e reveste o furo; e o AMC BOS FIX™, uma argamassa lubrificante de preenchimento rápido.

 

O supervisor de perfuração da Resolution Copper, Eric Castleberry, utilizou o sistema em projeto de perfuração no Arizona (EUA). Ele definiu a experiência: “Durante todo meu tempo trabalhando neste local, nunca testemunhei nenhum produto que faça o que o AMC BOS tem feito para melhorar as condições da perfuração e perda da circulação”.


Outra novidade da AMC Brasil é a unidade de remoção de sólidos leves, ou LW SRU. Trata-se de um revolucionário equipamento de controle de partículas sólidas. Um dos destaques é propiciar grande reaproveitamento de água nas operações. A máquina vem apresentando resultados expressivos em relação aos  benefícios econômicos, operacionais, ambientais e de segurança para perfuradores e empresas de pesquisa mineral. A LW SRU é altamente móvel e facilmente rebocada por um veículo 4×4. Sua mobilidade permite manobrá-la, inclusive, no subsolo.


Fluidos de perfuração


Líder mundial em fornecimento de fluidos para perfuração, a AMC tem à disposição do mercado uma vasta linha de produtos como: lubrificantes, graxas cobre, graxas biodegradáveis e aditivos.

Sistema Fluido MMO – Trata-se de um modificador reológico para fluidos de perfuração, obtido da mistura de minerais, mescla sintética de óxido de magnésio e alumínio. Seu uso potencializa a suspensão dos sólidos e é indicado para formações não consolidadas, formações porosas e permeáveis. Comparado aos sistemas de fluidos tradicionais, os fluidos à base de MMO possuem excepcional limite de escoamento (LE), além de excelente capacidade de limpeza do furo e suspensão de sólidos.


BORE HOLE STABILISER (BHS) – É um produto multifuncional, formulado especificamente para aplicações de perfuração a ar. Previne problemas no fundo do furo, como caimento e instabilidade da formação e da parede lateral, evita deformação no embocamento do furo e descalibração no diâmetro perfurado. O BHS também fornece um grau de lubrificação para o furo e irá melhorar a capacidade de elevação da corrente de ar para o transporte dos recortes.

TORQUE GUARD – Lubrificante de extrema pressão, distintivo, de última geração e de alto desempenho, que utiliza tecnologias sofisticadas para melhorar a qualidade de lubrificação de um fluido de perfuração através de características avançadas de adesão e formação de filme lubrificante. O AMC TORQUE GUARD é um redutor de torque de alto desempenho, formulado para atuar em solução aquosa e projetado especificamente para proporcionar redução de fricção através de características de lubrificação aprimoradas e ação de superfície. Proporciona melhor taxa de penetração, menor desgaste de superfícies de corte e dos equipamentos de furos e bombas (extremidades molhadas), além de evitar a corrosão.


EZEE DRILL – Produto líquido, simples de usar, que melhora a eficiência da perfuração ao proporcionar estabilidade e lubrificação, sem os problemas associados à mistura de polímeros em pó. Este produto é ideal para operações de perfuração subterrânea, onde é possível fazer apenas um cisalhamento mínimo.


CORVIS – Polímero em pó, de alto peso molecular, que foi desenvolvido para melhorar a recuperação de testemunhos, particularmente para obras em argilas expansivas e formações frágeis ou altamente fraturadas. Ele faz o encapsulamento dos recortes e ajuda a estabilizar a formação. O AMC CORVIS forma uma película de polímero protetora no tubo de perfuração e na broca, bem como nas paredes do furo, além de ajudar a fornecer lubrificação quando a coroa diamantada perfura formações problemáticas.


Geoanálises no campo


O REFLEX PRESS™, juntamente com a solução REFLEX XRF™ (que inclui REFLEX XRF™, IMDEXHUB-IQ™ e ioGAS™), fornece a primeira solução de geoanálise on-site disponível no mercado. O resultado é agilidade na tomada de decisões, economizando tempo e dinheiro.


Controle estrutural


A solução REFLEX IQ-LOGGER ™ otimiza o tempo para Logging Estrutural em testemunho de sondagem orientado, bem como transferência digital de dados, formando uma trilha auditável e confiável. A capacidade de QA em tempo real, através de projeção imediata no estereonet, assegura que as orientações sejam precisas e confiáveis. Juntamente com o ACT, que é o líder mundial no mercado para coleta de orientação em testemunho, o trabalho torna-se mais fácil e confiável.

 

Futuro da mineração nas mãos do governo e do Congresso Nacional

18.9.2017

 

PRINCIPAIS EXECUTIVOS DA MINERAÇÃO BRASILEIRA ALERTAM QUE EMPRESAS PODERÃO ATÉ PARALISAR ATIVIDADES

 

MP 789 eleva brutalmente os custos de operação e investidores revisam investimentos no setor. Minérios ficarão mais caros para a indústria de transformação.


Belo Horizonte, 18/09/2017 –
Os CEOs das maiores mineradoras que atuam no Brasil apelaram hoje, em conjunto, ao governo e aos parlamentares federais para que tratem com responsabilidade e elevado espírito público a análise da Medida Provisória (MP) número 789/2017, encaminhada pelo Executivo ao Congresso Nacional.

Ela está em apreciação pelos parlamentares e eleva significativamente o valor da Compensação Financeira pela Exploração dos Recursos Minerais (CFEM), que é o ‘royalty’ recolhido pelas empresas pelo direito de minerar. O impacto desse aumento é considerado altamente negativo para o setor, apontam os CEOs.

Além da MP propriamente dita, uma série de emendas parlamentares foi apresentada no Congresso Nacional. Boa parte delas, se vier a ser aceita e aprovada, pode levar até à paralisação de grandes empreendimentos minerais e prejudicar também toda a indústria de transformação, que depende do fornecimento de minérios a preços compatíveis com a realidade econômica.

Os CEOs alertam que o aumento da CFEM se soma à já elevada carga tributária que o Brasil cobra de suas empresas. Este cenário de alta tributação contrasta com o ambiente de negócios mais favorável que as mineradoras encontram em outros países, inclusive na América do Sul.

 

Os executivos das mineradoras entendem que além de ter decretado o aumento da CFEM por Medida Provisória, o governo poderia ter tomado algumas atitudes que pudessem melhorar o ambiente de negócios para a mineração. Um exemplo seria desburocratizar o licenciamento ambiental, que inibe sensivelmente a expansão da atividade no Brasil. Isso iria estimular negócios, compensar a elevação do ‘royalty’ e efetivamente melhorar a arrecadação.

Municípios mineradores perderão bilhões de R$ em investimentos

 

Mas a insegurança jurídica alimentada pela imprevisibilidade de regras e de custos é agora reforçada por esta MP 789. Dessa forma, acionistas do setor – principalmente estrangeiros – já revisam ou cancelam planos de novos investimentos de bilhões de reais na mineração brasileira.

Minerar, no Brasil, ficou mais caro ‘do dia para a noite’, na comparação com os custos da atividade em outros países. Assim, o Brasil perderá ainda mais competitividade internacional neste setor, avaliam os CEOs.

Este movimento já tem ocorrido, em especial, pela imensa dificuldade de concessão de licenciamento ambiental a projetos minerais no Brasil. Países como Peru e Equador, por exemplo, passaram a atrair maior atenção dos investidores em mineração.

Este quadro agora sofre o impacto econômico adicional da elevação da CFEM. A consequência é que a capacidade das mineradoras de manter e gerar emprego e renda nos municípios mineradores está seriamente comprometida, justificam os executivos para defender seu posicionamento.

Futuro da mineração nas mãos do governo e do Congresso Nacional

 

O Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAMwww.portaldamineracao.com.br/ibram) avalia que parlamentares e o governo federal têm que analisar muito bem as consequências socioeconômicas desse aumento expressivo na CFEM neste momento.

As mineradoras já enxugaram seus custos para fazer frente à crise econômica, à queda dos preços internacionais dos minérios e também à morosidade burocrática do licenciamento ambiental – que paralisa projetos, novos ou em fase de renovação. Portanto, as mineradoras não têm mais custos a serem cortados para compensar os impactos do aumento do ‘royalty’.

O setor mineral acredita que o melhor caminho, no momento, seria abrir ampla discussão sobre o assunto e avaliar os impactos tão negativos.

“A realidade é que as empresas foram surpreendidas e se sentiram frustradas com a elevação imediata das alíquotas da CFEM por Medida Provisória – as alíquotas diferem de acordo com o minério – e, principalmente, pela mudança da base de cálculo deste ‘royalty’, que passou a ser o faturamento bruto das mineradoras, e não mais o líquido”, afirmou Clovis Torres Junior, Diretor Executivo e Consultor Geral da Vale S.A. e presidente do Conselho Diretor do IBRAM.

“Foi uma decisão política do governo federal, da qual, democraticamente, discordamos”, disse o executivo durante evento com empresários e especialistas do setor mineral(leia mais adiante).

Pesquisa mostra que investimentos caem de US$ 75 bilhões para US$ 18 bilhões

 

Nos últimos cinco anos, pesquisa do IBRAM indica que a intenção de investimentos em mineração no Brasil mudou para pior. Em 2012, as mineradoras anunciavam investimentos de US$ 75 bilhões nos 5 anos subsequentes; em 2017, esse mesmo levantamento aponta intenção de US$ 18 bilhões para os próximos 5 anos.

“Esta variação representa fielmente como o Brasil está virando as costas para um setor estratégico para sua economia. Esses US$ 18 bilhões ainda são valores expressivos, todos oriundos de capital privado. Ainda mais porque não há financiamento público no Brasil à altura do que a indústria da mineração necessita”, disse Walter Alvarenga, diretor-presidente do IBRAM.

“Isso, apesar de seu alto potencial para gerar emprego, renda, tributos e divisas com as exportações, além de estimular negócios em uma ampla cadeia produtiva”, acrescentou.

Há informações preliminares, segundo o IBRAM, de projetos minerais que poderão reduzir ou até paralisar atividades em razão do forte aumento de custos. “Todas as mineradoras estão fazendo cálculos, às pressas, porque não tiveram prazo para adaptar suas estruturas a esse aumento abrupto”, disse Walter Alvarenga.

Setor mineral inaugura EXPOSIBRAM 2017 em Minas Gerais

 

Os dois dirigentes e mais executivos de grandes companhias como Votorantim Metais, Kinross, Anglo American, AngloGoldAshanti, Alcoa, Gerdau, Usiminas, CBMM, Embu, entre outras, participaram da cerimônia de abertura da EXPOSIBRAM 2017(http://portaldamineracao.com.br/), em Belo Horizonte (MG), um dos maiores eventos de mineração da América Latina.

Ela congrega a Exposição Internacional de Mineração e o 17º Congresso Brasileiro de Mineração. Empresas e instituições privadas e do setor público de 28 países participam. A Exposição conta com 500 estandes e o Congresso Brasileiro de Mineração com 87 palestrantes de 9 países.

Pelo governo federal, participou da mesa de abertura o secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energia (MME), Vicente Lôbo. Ele representou o titular da Pasta, Fernando Coelho Filho.

Vicente Lôbo disse que o governo federal tem o compromisso de contribuir para o desenvolvimento da indústria da mineração no Brasil. Ele afirmou que o governo pretende combater a insegurança jurídica de modo a aumentar a atratividade de investimentos na mineração brasileira.  “Acreditamos na força do setor mineral e em seu enorme potencial para gerar riquezas, empregos e renda”, afirmou. Ele afirmou que em breve o governo irá ofertar 200 processos minerários.

 

Germano Luiz Gomes Vieira, secretário-adjunto de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais, representou o governador de Minas, Fernando Damata Pimentel. Ele afirmou em seu discurso que o governo espera que o “setor mineral continue a ser um dos pilares da economia do estado” e que “mantenha planejamento estratégico convergente para construirmos um futuro para os municípios mineradores e para o estado de Minas Gerais, com segurança e qualidade ambiental para a população”.

 

Além deles, compuseram a mesa: o deputado federal Bilac Pinto representou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia; os embaixadores da Coreia do Sul, do Canadá, da República de Belarus, do Reino Unido, da Nicarágua, a vice-embaixadora da Austrália; o deputado estadual Dalmo Ribeiro, que representou o presidente da Assembleia Legislativa de Minas, Adalclever Lopes; o vice-prefeito de Belo Horizonte, Paulo Lamarque; o presidente da Associação Mineira de Municípios, prefeito Julvan Lacerda; o presidente do Simineral, José Fernando Gomes, o diretor administrativo do Sindiextra Cristiano Parreiras, representante do presidente José Fernando Coura; o ex-governador de Minas, Alberto Coelho Pinto; o ex-ministro de Minas e Energia, Paulino Cícero de Vasconcelos; Olavo Machado, presidente da FIEMG, representante o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

Patrocinadores e apoiadores da EXPOSIBRAM 2017

A EXPOSIBRAM 2017 conta com o patrocínio daVale (Diamante), Votorantim Metais (Diamante), da Anglo American (Platina), da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração – CBMM (Ouro),  da Kinross (Prata), da AngloGoldAshanti (Bronze),  do Banco Mercantil de Investimentos (Bronze), da Gerdau (Bronze) e da Codemig (Especial).

O evento tem o apoio editorial das Revistas Areia e Brita, Brasil Mineral, Enggineeringand Mining Journal, Eae Máquinas, International Mining, Amazônia, M&T, Mineração e Sustentabilidade, Nueva Minería y Energia, In The Mine, Rocas y Minerales, Minérios e Minerales, EBR, REM, Southern Pulse, JornalDe Fato, GBR e dos sites Conexão Mineral,  e Notícias de Mineração Brasil.

Figuram como apoiadores institucionais da 17ª edição da EXPOSIBRAM a Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), a Associação Brasileira do Carvão Mineral (ABCM), a Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), a Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração (ABM), a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), a Associação Brasileira de Engenheiros Eletricistas (ABEE), a Associação Nacional de Entidades de Produtores de Agregados para Construção Civil (Anepac), a Associação Paulista de Engenheiros de Minas (APEMI), Associação Paraense de Engenheiros de Minas (Assopem), Associação Brasileiro das Empresas de Pesquisa Mineral (ABPM), Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC) , a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Instituto Aço Brasil, o Sindicato da Indústria Mineral do Estado de Minas Gerais (Sindiextra) e a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), a Federação das Associações de Engenheiros de Minas no Brasil (FAEMI).

Serviço

EXPOSIBRAM 2017www.portaldamineracao.com.br
data: de 18 a 21 de setembro
local: EXPOMINAS - Av. Amazonas, 6030 – Bairro da Gameleira Belo Horizonte(MG)

 

Anglo American comemora 100 anos na Exposibram 2017 e faz um convite: como é a Mineração que você quer ver?

19.9.2017

 

O estande da empresa na Exposição Internacional de Mineração convida o visitante a imaginar o futuro da atividade mineradora, além de ajudá-la em projetos de doações de livros e mudas

 

Com um estande moderno, interativo e antenado, a Anglo American comemora seu centenário de fundação e seus 45 anos de Brasil na 17ª EXPOSIBRAM, convidando os visitantes a sonhar com a mineração que desejam ver. E a escolha pode ser feita ali mesmo, ao vivo e em cores. Um painel de LED será o fio condutor que vai abrir o caminho para que o público imagine a mineração do futuro, ao mesmo tempo em que relaciona as diversas possibilidades com os projetos da companhia. Ao final, será possível contribuir para um mundo mais sustentável, doando livros ou mudas de plantas. O espaço também abrigará uma exposição de produtores locais, com degustação de produtos das regiões onde a companhia opera.

 

Exposição Internacional de Mineração (EXPOSIBRAM 2017) acontece de 18 a 21 de setembro, no Expominas, em Belo Horizonte. A expectativa do Instituto Brasileiro de Mineração – IBRAM é de que até 40 mil visitantes circulem pelo local durante os quatro dias do evento.

 

Uma das principais patrocinadoras do evento, a Anglo American terá um estande de 85 m2 no centro da feira. Ali, seus principais executivos, entre eles o presidente da empresa no Brasil, Ruben Fernandes, receberão seus convidados, a imprensa especializada, estudantes, profissionais e técnicos, do Brasil e do exterior.

 

O painel interativo de LED será o principal atrativo do estande. Ao ativar o painel, o visitante preenche seus dados e em seguida surge na tela a pergunta “Como é a Mineração que você quer ver?”. Para cada tema escolhido pelo usuário, aparecerá um programa da empresa no âmbito socioeconômico ou ambiental.

 

Em seguida, o visitante será convidado a escolher o que prefere que a empresa doe, entre mudas e livros, e colocará a mão sobre a tela para receber o agradecimento pela sua participação no processo de definição.

 

Os livros serão doados pela Anglo American para as redes escolares dos municípios onde a empresa tem operações, nos estados de Minas Gerais e Goiás. Um levantamento está sendo feito com as prefeituras para se saber quais gêneros de livros são mais necessários. O público também poderá participar de sorteio de livros no próprio estande.

 

Para a doação de mudas, a Anglo American tem uma parceria com o Respira Mais, uma consultoria ambiental parceira da Anglo American em processos de neutralização das emissões de carbono. Por sinal, o estande da Anglo American foi totalmente concebido para ser “Carbono Neutro”. Um selo do Respira Mais indica que “a empresa compensou as emissões de CO2e (equivalência em gás carbônico) oriundas do estande montado na EXPOSIBRAM”.

 

O cálculo dessa neutralização foi feito baseado na metodologia GHG Protocol, pela qual a Anglo American recebeu, em agosto, o Selo Ouro, pela transparência de seus processos de monitoramento e controle de emissões de gases do efeito estufa.

 

A Anglo American também doou ao IBRAM um lote de mudas. Elas estarão expostas no estande do próprio Ibram na feira.

 

100 Anos Anglo American

 

Também no estande da Exposibram, o visitante encontrará um monitor de tela de toque, pelo qual serão convidados a digitar o ano do seu nascimento ou um ano específico. O aplicativo carregará, então, as informações relativas àquela década, com destaque para fatos de destaque da história da Anglo American, que completa 100 anos neste ano, e acontecimentos marcantes do mundo naquele período. Também serão exibidos marcos tecnológicos e inovadores da história da mineração.
A Anglo American aproveita a Exposibram 2017para comemorar também os 45 anos de atividade no Brasil.

 

Degustação de produtos locais

 

Outro destaque do estande da Anglo American será a área com o nome “Pessoas que Constroem Nossa História com a Gente”. Ali, produtores locais, das regiões em que a mineradora opera, vão expor seus produtos, como queijos, doces, mel, e promover degustações.

 

Serviço:
Exposibram 2017
Local: Centro de Feiras e Exposições George Norman Kutova – EXPOMINAS (Av. Amazonas, 6030, Bairro Gameleira – Belo Horizonte – MG).
Período: 18 a 21 de setembro
Horário: 18/09 – das 13h às 19h; 19 a 21/09 – das 8h às 18h.  

 

 

Setor mineral do Pará será destaque na EXPOSIBRAM

19.9.2017

 

O Pará marcará presença na 17ª Exposição Internacional de Mineração(EXPOSIBRAM), uma das maiores feiras de mineração da América Latina, que será realizado de 18 a 21 de setembro, em Belo Horizonte (MG). O evento receberá 40 mil visitantes e 500 expositores. No estande do Governo do Estado haverá um espaço moderno e inovador para expor as cadeias produtivas da mineração e os produtos potenciais do Pará. Dados do último Anuário Mineral do Pará confirmam esse potencial: em 2016, as indústrias de mineração e transformação mineral responderam por 86,4% das exportações. O setor também é um dos mais emprega, gerando 143 mil postos de trabalho, entre diretos e indiretos.

 

A Imerys, maior beneficiadora de caulim do mundo, estará presente no estande do Governo do Estado. A mineradora reforçará a marca e levará ao público informações e conhecimentos sobre o caulim, minério não tóxico e amplamente utilizado em produtos como papel, cremes dentais, tintas e cosméticos. “A Imerys é comprometida com o desenvolvimento do Estado. Isso nos orgulha bastante. A Exposibram, sem dúvida, será um espaço muito bom para estreitar os laços com diversos públicos e expor nossos produtos inovadores para o mercado”, acredita Marcos Moreira, Diretor de Operações da Divisão de Caulim da Imerys.

 

Presente há mais de 20 anos no Pará, a empresa contribui para a geração de emprego e renda e para o desenvolvimento das comunidades onde atua. Nos últimos cinco anos, a mineradora beneficiou mais de 36 mil pessoas em seus projetos sociais, oferecendo cursos de capacitação, aulas de reforço escolar, inclusão digital e diversas atividades para promoção da saúde, educação e lazer nas comunidades onde atua.

 

Outra empresa que será destaque no estande do Governo do Estado será a Alubar, líder na fabricação de cabos elétricos de alumínio e produtora de condutores elétricos de cobre para média e baixa tensão. A empresa gera mais de 1.000 postos de trabalho, entre diretos e indiretos, com aproveitamento de 90% da mão de obra local. Na EXPOSIBRAM, a Alubar patrocinará um jogo interativo sobre mineração, a ser desenvolvido pela RD CODE Soluções Digitais, que fará parte do estande.

 

“A participação do Governo do Estado na Exposibram é importante para reforçar o potencial mineral do Pará. E mais que isso, é importante mostrar para o Brasil a relevância dos seus investimentos na cadeia produtiva, na verticalização do minério. A Alubar, sendo a pioneira e única empresa a entregar produto acabado a partir de um minério extraído no Estado, fica muito feliz em participar desta exposição”, revela Maurício Gouvea, diretor executivo da Alubar Metais e Cabos.

 

Segundo Maurício, a EXPOSIBRAM é uma grande oportunidade para mostrar os produtos fabricados com qualidade e segurança em Barcarena, a partir de investimentos sólidos. “O Pará, geralmente, é caracterizado por ser um Estado extrativista. Mas a Alubar é um exemplo de que é possível produzir produtos que tenham alcance nacional e potencial para atender o mercado externo. Isso demonstra que todo o esforço feito pela empresa para criar produtos de qualidade, para desenvolver pessoas e o nosso Estado, tem sido coroado e tido um grande êxito, pois hoje somos líder no mercado brasileiro de cabos elétricos de alumínio com 41% de market share”, destaca o diretor executivo da Alubar.

 

 

 

NSK Brasil participa da Exposibram 2017

14.9.2017

 

Companhia vai mostrar portfólio voltado ao setor de mineração e também o sucesso de seu Programa de Gerenciamento de Ativos, conhecido por AIP, que já fez empresas do segmento economizarem R$ 140,3 mil em processos na área de manutenção

 

A NSK Brasil estará presente na 17ª Exposição Internacional de Mineração, que acontecerá entre 18 e 21 de setembro, em Belo Horizonte, Minas Gerais. A multinacional japonesa vai expor toda a sua linha de produtos destinada ao setor, como rolamentos com tecnologia HTF, rolamentos para peneiras vibratórias, autocompensadores HPS (gaiolas de latão e aço) e autocompensadores vedados para  correias transportadoras.

 

“A NSK tem grande satisfação em participar deste evento que é considerado um dos maiores da América Latina no segmento de mineração. Vamos apresentar todos os nossos produtos de alta qualidade que foram desenvolvidos para o setor, inclusive o nosso AIP – Programa de Gerenciamento de Ativos”, comenta Alexandre Froes, diretor das unidades de negócios Industrial e Aftermarket da NSK Brasil.

 

O AIP – Programa de Gerenciamento de Ativos, criado pela NSK, é uma metodologia de trabalho desenvolvida pelos engenheiros da empresa que visa otimizar a utilização dos rolamentos em máquinas e equipamentos, para que operem no máximo de suas capacidades com o menor desgaste, aumentando a produtividade e reduzindo consideravelmente os custos de operação e manutenção das indústrias.

 

Desde sua implementação em 2012, o programa já ajudou as empresas a economizarem R$ 35,9 milhões. Somente no setor de mineração, essa redução de custo foi de R$ 140,3 mil, 12 projetos realizados em 10 empresas do segmento.

 

“A EXPOSIBRAM dará mais uma vez a oportunidade de difundirmos o nosso repertório de produtos e serviços, como o AIP, destinados a um setor tão importante para a nossa economia”, acrescenta Froes.

 

Baseado em quatro pilares: Mapeamento, Seleção, Treinamento e Inspeção, o AIP é uma solução sob medida da NSK. Por meio do programa é possível, por exemplo, demonstrar o quanto se pode economizar com a utilização do rolamento adequado para cada equipamento, e até mesmo identificar o uso ou montagem incorreta de um rolamento, que pode reduzir a vida útil de uma máquina ou até mesmo levar a fábrica inteira a uma parada.

 

O trabalho é desenvolvido pela Engenharia de Aplicação da NSK em parceria com a rede de Distribuidores AIP autorizados que, por meio de uma equipe de especialistas capacitados e preparados, aplicam a metodologia e dão todo o suporte necessário às indústrias.

 

Fazem parte do Programa AIP os seguintes distribuidores da NSK: Categoria Master: Casa dos Rolamentos, CBF, G.A. Werlang, JR Rolamentos, Jund Rol, Lúcios, Moto Brasil, Nordeste Rolamentos, Primo Rolamentos, Pull Rolamentos, Radial Rolamentos e RPL; Categoria Especialistas:  DGB e Portorrol.

Saiba mais sobre o programa AIP acessando– www.nsk.com.br/aip

Sobre a EXPOSIBRAM

 

O evento conta com mais de 40 mil visitantes e 500 expositores. Juntamente ao Congresso Brasileiro de Mineração reúne, a cada dois anos, centenas de empresários, representantes de organizações governamentais e privadas. No espaço, serão apresentadas as principais novidades em tecnologia, equipamentos, softwares e outros produtos ligados à Indústria Mineral, além de dados sobre investimentos e gestão.

 

Toledo do Brasil expõe novidades na Exposibram 2017

14.9.2017

 

São diferentes equipamentos que garantem a pesagem de materiais do segmento da mineração

 

Reconhecida como empresa líder em tecnologia na área de pesagem e gerenciamento de informações, a Toledo do Brasil está com lançamentos na EXPOSIBRAM 2017 – Exposição Internacional de Mineração e Congresso Brasileiro de Mineração, que acontece entre os dias 18 a 21 de setembro próximo, em Belo Horizonte, Minas Gerais. A empresa irá expor a balança Trainweigh. Uma solução para pesagem dinâmica ou estática de veículos ferroviários. Todo o sistema é construído a partir de trechos de trilho especialmente preparados e instrumentados com extensômetros (strain gauges), para se tornarem efetivos transdutores de peso de rodas, integrados na via férrea. Para as aplicações de pesagem estática são utilizadas múltiplas seções, ou seja, uma pequena balança sob cada roda do veículo que estiver sendo pesado. As seções de trilho possuem perfil idêntico aos da linha férrea, porém, são usinados, instrumentados, selados e calibrados pela empresa.

 

Além da balança Trainweigh, a Toledo do Brasil irá expor a Balança de Caminhões 950i, a Balança de Correia / Integradora e os Módulos de Pesagem de Tanques.

A Balança de Caminhões 950i faz o controle no fluxo de veículos na propriedade. Essa nova tecnologia permite mensurar, através da pesagem, a rentabilidade da produção, evitar fraudes e desvios. Possibilita ter o melhor custo de frete e minimizar risco de multas por sobrepeso, pois a balança calcula com precisão a capacidade máxima permitida do caminhão. É possível ainda fazer a automação do processo com o software Guardian e incluir acessórios como cancelas, semáforos, sensores e câmeras, aumentando a segurança da pesagem e do transporte, além de reduzir custos.

 

A Balança de Correia / Integradora Prix 9270 é adequada para transportadores de 16 a 96 polegadas e capacidades de até 24.000 t/h (capacidades superiores sob consulta). Consiste de três componentes básicos: ponte de pesagem, dispositivo de medição de velocidade e terminal de controle. De concepção modular, a ponte de pesagem possui uma ou duas células de carga, dependendo da largura do transportador de correia e capacidade. As células de carga, em virtude do inovador projeto da ponte de pesagem, reagem apenas às forças verticais transmitidas pelo rolete de pesagem (correspondentes à carga de material na correia) e nunca às forças de atrito entre rolos e correia, forças laterais e cargas descentradas.

 

Também serão expostos os Módulos para Pesagem de Tanques, ideais para converter estruturas mecânicas em balanças, não importando o tipo desta estrutura: silos, tanques, moegas, reatores e outras. São utilizados nos mais diversos segmentos de mercado, principalmente: mineração, metalurgia, alimentício e químico. Os módulos de pesagem Prix auxiliam na melhoria dos processos, eliminando passos intermediários, leituras imprecisas e desperdício de tempo. Isso porque as células de carga e suportes de montagem são projetadas para garantir que, na instalação, a força peso seja sempre aplicada de forma perpendicular à célula de carga. Esta característica torna a pesagem confiável e exata.

 

No estande da Toledo do Brasil, o visitante terá a oportunidade também de conferir a Balança Compacta BCS21, versátil e com diversas aplicações. Feita em inox, com grau de proteção IP-66, a BCS21 é resistente à penetração de pó e permite limpeza com jatos potentes d’água. O diferencial do modelo é fazer contagem de peças por amostragem ou por acumulação simples, somar o peso e número de peças, além de acusar se há sobra ou falta para o padrão definido.

Num estande de 30 m2 da empresa, Wilson Roberto Repetto, gerente da filial Belo Horizonte, estará à disposição para mais informações que também podem ser obtidas no site: www.toledobrasil.com.br

 

Serviço:

Evento: Exposibram 2017 – Exposição Internacional de Mineração

Data: de 18 a 21 de setembro de 2017, das 13 às 21 horasLocal: Expominas (Av. Amazonas, 6030, Bairro da Gameleira, Belo Horizonte, Minas Gerais)

Estande da Toledo do Brasil: E19 / D20

 

 

 

Em parceria com Hidropoços, Danfoss destaca conversores de frequência na Exposibram

13.9.2017

 

Líder global no fornecimento de tecnologias que atendem à crescente demanda da cadeia produtiva de alimentos, eficiência energética, soluções favoráveis ao clima e infraestrutura moderna, a Danfoss mostra os conversores de frequência VLT® AutomationDrive FC 302 e VLT® AquaDrive FC202 com grau de proteção IP66 em parceria com seus distribuidor Hidropoços, durante a 17ª Exposibram, Exposição Internacional de Mineração (EXPOSIBRAM) que acontece de 18 a 21 de setembro em Belo Horizonte (MG). O estande da Hidropoços é o Y55.

 

O VLT® AutomationDrive FC 302é projetado para controle de velocidade variável de todos os motores assíncronos e motores de ímã permanente. A solução ajuda a economizar energia, aumenta a flexibilidade, reduz os custos relacionados com peças de reposição e manutenção e otimiza o controle de processo em qualquer máquina ou linha de produção industrial. O VLT® AquaDrive FC202 é projetado para fornecer o mais alto nível de desempenho para aplicações de água e efluentes acionadas por motores CA. Incluindo uma ampla variedade de recursos padrão poderosos, que podem ser expandidos com opcionais de melhora de desempenho, o drive é igualmente adequado tanto para projetos novos como para adaptação.

 

Estas soluções da Danfoss são indicadas para aplicação em ambientes agressivos e contam com maior densidade de potência no mercado, facilitando o retrofit em painéis existentes e novas instalações com economia de espaço e sistema de refrigeração. A Hidropoços começou a distribuir os produtos da Danfoss em 2012. Como montadora de painéis elétricos, a empresa adotou a Danfoss em seus painéis e, paralelamente, começou a comercializar os drives em todo o mercado mineiro, principalmente no saneamento, mineração e alimentos/bebidas. “Hoje, já com a parceria consolidada, estamos trabalhando para conquistar novos mercados e clientes, bem como ampliar a atuação na área de service”, acrescenta Alessandro Nogueira Mol, supervisor de vendas da Hidropoços.

 

 

Atech apresenta Solução de Monitoramento de Barragens na Exposibram 2017

13.9.2017

 

Empresa do Grupo Embraer desenvolve produto em parceria com Concremat para atender demanda de mineradoras, em conformidade com a portaria do DNPM

A Atech, empresa do Grupo Embraer, participa da Exposição Internacional de Mineração (EXPOSIBRAM 2017), evento  promovido pelo Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) que acontece de 18 à 21 de setembro, em Belo Horizonte – MG, com a palestra “Sistema Inteligente de Gestão Integrada de Barragens: Segurança, Conformidade e Monitoramento Ambiental”, ministrada por Dario Alberto Endler, Especialista em Engenharia de Sistemas da Atech, e Ovídio Joaquim dos Santos Júnior, Gerente Operacional da Concremat.

 

Durante a palestra, os profissionais irão apresentar a Solução Integrada para Gestão da Integridade e Conformidade do Portfólio de Barragens. Por contar com tecnologia de ponta, aliando a expertise das duas empresas envolvidas – Atech e Concremat, a solução oferece um monitoramento preciso e completo, com o uso de sensores, imagens de satélite e dados obtidos com radares, operando de maneira integrada.

 

Projetada de maneira modular, sua aplicação é feita no ciclo completo do empreendimento, desde o projeto, licenciamento até a operação. Para isso, os módulos contam com monitoramento e integração de dados coletados, imageamento orbital de barragens, radares e levantamento geográfico, dados de inspeções visuais e de fontes externas, bem como a integração de dados coletados em tempo real por sensores manuais e automatizados e geração de alarmes e relatórios. Tudo isso implementado em uma infraestrutura de alta disponibilidade e segurança. A solução pode ser implantada em uma ou mais barragens, trazendo informações de uma única localidade ou de diversos pontos de operação, permitindo, assim, uma visão integrada em um centro de operações único da mineradora. Além disso, o programa pode ser adotado tanto por empresas de grande quanto de pequeno porte.

 

A Solução Integrada para Gestão da Integridade e Conformidade do Portfólio de Barragens também contempla um módulo de apoio para elaboração e acompanhamento do PAE (Plano de Ação de Emergência), com gestão dos riscos e atuação em crises, simulações de cenários, planos e procedimentos, alertas, monitoramento e gestão de recursos e documentos, integrado com órgãos de controle.

 

Com foco no mercado de mineração, após publicação de portaria do Ministério de Minas e Energia, que determina o monitoramento das barragens existentes e a necessidade de um plano para as que serão instaladas futuramente, a Solução Integrada para Gestão da Integridade e Conformidade do Portfólio de Barragens foi aprovada pelo Inova Mineral, uma iniciativa do BNDES (Bando Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e da FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos), que visa o desenvolvimento de empresas e tecnologias nacionais nas cadeias produtivas da indústria de mineração e transformação mineral. Na primeira fase do Inova Mineral, a solução da Atech recebeu a maior nota.

 

Competências das empresas

 

A parceria entre as empresas participantes foi baseada na busca da aplicação da melhor expertise de cada uma.

 

A Atech é reconhecida por sua atuação no desenvolvimento e integração de sistemas nas áreas de Defesa, Segurança e Controle de Tráfego Aéreo. Para este projeto, a empresa agrega um corpo técnico com capacitação e experiência comprovadas no desenvolvimento e implantação de soluções tecnológicas que integram sistemas de alta complexidade. A Atech será responsável pelo desenvolvimento do sistema e atuará como líder no empreendimento.

 

A Concremat é uma das maiores companhias de engenharia do Brasil, com mais de 60 anos de experiência no mercado nacional e será responsável pelas soluções integradas de engenharia civil e de gestão.

 

 

 

Inox aumenta produtividade na mineração

Aperam South America, produtora de aço inox, apresenta suas soluções tecnológicas para o setor da mineração durante 17ª EXPOSIBRAM

13.9.2017

 

A Aperam South America, produtora integrada de aço inox, elétrico e ao carbono, leva à 17ª edição da EXPOSIBRAM suas soluções e aplicações de aço inoxidável no setor de mineração. A empresa vai mostrar aos visitantes da feira em Belo Horizonte como o inox proporciona melhoria de processos, produtividade e custos.

 

“O aço inoxidável obtém ótima performance na mineração, a exemplo de outros setores que precisam de materiais resistentes à corrosão, desgaste e com os menores custos de manutenção possíveis, diz Roberto Guida, gerente Executivo de Marketing da Aperam.

 

A EXPOSIBRAM tem expectativa de receber 50.000 visitantes durante os quatro dias de evento, sendo profissionais, técnicos e estudantes, do setor público, privado de todo Brasil e do exterior, no setores de indústria, governo e serviços. A Aperam terá um estande na EXPOSIBRAM durante os dias 18 e 21 de setembro, das 13h às 21h, além de realizar palestra técnica sobre as soluções de inox na mineração no dia 19, das 15h às 16h30.

 

Serviço

Data e Horário: Dia 18 a 21 de setembro – 13h às 21h
Local: Centro de Feiras e Exposições George Norman Kutova – Expominas – Av. Amazonas, 6030 – Bairro da Gameleira – Belo Horizonte
Palestra Aperam: Dia 19 – sala 6 – das 15h às 16h30

 

 

Reino Unido participa da EXPOSIBRAM e exibe inovação e tecnologia para o setor de mineração

12.9.2017

 

Pavilhão do Reino Unido contará com 15 empresas representadas e uma programação de debates para apresentar soluções para custos, eficiência e sustentabilidade


O Reino Unido, parceiro de longa data do Brasil há quase dois séculos no setor de mineração, contará pela primeira vez com um pavilhão na EXPOSIBRAM ocupando um espaço de 90 m². Oito empresas britânicas terão estandes para expor sua ampla variedade de soluções inovadoras, sendo uma delas a representante de outras sete empresas. Através do Ministério de Comércio Internacional (Department for International Trade – DIT) e da Agência de Crédito à Exportação do Reino Unido (United Kingdom Export Finance – UKEF) o Pavilhão do Reino Unido promoverá, nos dias 19 e 20 de setembro, quatro painéis focados em temas chaves do setor, além de proporcionar oportunidades de negócios durante os quatro dias da feira, de 18-21.


No primeiro dia da EXPOSIBRAM, 18 de setembro, segunda-feira, o embaixador do Reino Unido no Brasil, Vijay Rangarajan, estará presente na solenidade de abertura do 17º Congresso Brasileiro de Mineração e participa da pré-abertura do Pavilhão do Reino Unido para convidados. Às 18hrs, o cônsul britânico em Belo Horizonte, Thomas Nemes, inaugura o Pavilhão para o público participante da feira, junto aos representantes das empresas britânicas expositoras. No dia 19, terça-feira, a diretora do Ministério de Comércio Internacional do Reino Unido no Brasil, Renata Ramalhosa, visita o Pavilhão acompanhada do diretor regional da UKEF para a América Latina, Sam Hoexter. Nas tardes da terça e da quarta-feira, dias 19 e 20, acontecem os painéis sobre temas do setor de mineração, quando serão apresentadas soluções em inovação e tecnologia para questões referentes à redução de custos, eficiência operacional e sustentabilidade. Para participar dos painéis é preciso fazer uma inscrição pelo sitehttp://www.smartsurvey.co.uk/s/UKPavilion/. As vagas são limitadas.


Memória


Uma mini-exposição com objetos do acervo do Centro de Memória AngloGold Ashanti, que resgata e preserva a memória da evolução tecnológica do processo de mineração de ouro, ficará à mostra para os visitantes do Pavilhão do Reino Unido. A AngloGold Ashanti é a maior mineradora de ouro do Brasil e a terceira do mundo. A empresa originou-se da Saint John Del Rey Mining Company que chegou ao Brasil em 1834 e deu início à exploração de ouro em Nova Lima, Minas Gerais.


Programação do Pavilhão do Reino Unido, durante a Exposibram 2017:

 

Dia 18 de setembro:

 

18:00 – Coquetel de Inauguração (aberto ao público)

 

Dia 19 de setembro:

 

15:00 – Painel: Redução de Custos de Capex

 

Apresentações:

 

DIT | UK Export Finance | Turner & Townsend | MMD Sizers | TSX Advisors

 

17:00 – Painel: Redução de Custos e Eficiência Operacional

 

Apresentações:

 

UK Export Finance |CDE | Moisture Reduction System |Aggreko

 

Dia 20 de setembro:

 

15:00 – Painel: Inovação e Mineração

 

Apresentações:

 

UK Export Finance | Concrete Canvas | Brigade Eletronics | FMC

 

17:00  – Painel: Sustentabilidade e Mineração: Manejo de Água, Redução de Riscos e outros fatores

 

Apresentações:

 

ERM | Aderco | Aquamec | EHS Data

 

Serviço:

Pavilhão do Reino Unido

Stands B27 a B33 – Exposibram

Expominas – Av. Amazonas, 6.200 – Gameleira – Belo Horizonte – MG

 

 

BASF leva para a EXPOSIBRAM amplo portfólio que promove sustentabilidade e eficiência na mineração

12.9.2017

 

Soluções englobam desde a construção subterrânea até o tratamento de água e barragens

A BASF vai apresentar seu amplo portfólio de produtos químicos e tecnologias que contribuem para melhorar a eficiência, os processos e os sistemas construtivos para o setor de mineração, na Exposição Internacional de Mineração, EXPOSIBRAM, que será realizada de 18 a 21 de setembro, em Belo Horizonte, Minas Gerais. “Nossas soluções incluem construção e manutenção de infraestrutura mineira, construção subterrânea, processamento de minerais, tratamento de águas e produtos para equipamentos de mineração, garantindo um portfólio robusto e inovador que promove a sustentabilidade na cadeia de valor da mineração” afirma Victor Schilling von Dessauer, gerente do Industry Team Mining para a América do Sul da BASF.


Para construção e manutenção de infraestrutura mineira, as soluções incluem aditivos para concreto, grautes de performance, pisos industriais, sistemas de impermeabilização, soluções para reparação e reforço do concreto, selantes, soluções para isolamento térmico e acústico, resinas de viniléster. Em construção subterrânea, há shotcrete, backfilling, injeções e matéria-prima para explosivos.


Na área de processamento de minerais, há inovações para hidrometalurgia, flotação, separação sólido-líquido, agentes clareadores e gestão de rejeitos. Já para o tratamento de águas há soluções que melhoram os processos de secagem e clarificação da água. Soluções que melhoram o desempenho dos equipamentos de mineração também são contemplados, com aditivos para combustíveis, anticongelantes/coolants e lubrificantes sintéticos. “Nosso objetivo é apresentar ao mercado a enorme contribuição que a BASF pode oferecer para essa cadeia produtiva. Nossos produtos são vendidos mundialmente e com suporte técnico especializado”, ressalta Victor.

 

 

 

 

 

Dinamica Materiais Hidráulicos marca presença NA EXPOSIBRAM

11.9.2017


Estabelecida na Grande São Paulo em 2006, a Dinamica Materiais Hidráulicos consolidou sua posição como um dos maiores distribuidores e importadores do país de tubos, válvulas e conexões em aço, ferro e cobre, com atuação de destaque nos segmentos de instalação de gás, climatização e sistemas de combate a incêndio, inclusive para para usinas de minério. A empresa participará pela primeira vez da EXPOSIBRAM .


“Investimos na melhoria dos nossos serviços no último ano, com a abertura de depósitos estrategicamente distribuídos pelo Brasil e das filiais de Minas Gerais, na região de Betim e na região Sul. Dessa maneira visamos entregar mais soluções e de maneira mais ágil para nossos clientes e parceiros para continuarmos mantendo o nosso expressivo crescimento dos últimos anos.”, explica Thais Gomes, Gerente Geral.


“A expectativa para nossa estreia é alta, já que nossos clientes do segmento sugeriram a nossa participação na feira devido a sua extrema relevância no cenário nacional. Esperamos estabelecer novos contatos para apoiar posteriormente com bons negócios e dessa maneira continuar contribuindo para a retomada econômica do país”, finaliza Thais.


A equipe de Vendas e Relacionamento da Dinamica receberá seus clientes, profissionais do setor, parceiros e formadores de opinião no stand K23.

 

 

 

Congresso debate mineração e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

6.9.2017


A mineração é um dos setores empenhados em entender de que forma o desenvolvimento de suas atividades está atrelado ao cumprimento das metas estabelecidas pela Agenda 2030 - plano de 17 ações da Organização das Nações Unidas (ONU) e suas 169 metas para o progresso do planeta. O assunto será tema de destaque durante a programação do 17º Congresso Brasileiro de Mineração, fórum que acontece simultaneamente a Exposição Internacional de Mineração (EXPOSIBRAM). O evento, promovido pelo Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), ocorre entre os dias 18 a 21 de setembro, em Belo Horizonte (MG).


Para Isis Pagy, Diretora-Presidente Fundação VALE e palestrante do painel Xxxx, o evento servirá de espaço para trocas de experiências sobre a atuação das empresas do setor junto aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). “O resultado desse painel pode pautar uma boa agenda de trabalho com o governo, visando o desdobramento dos objetivos globais de metas para o País”.

 

Para Pagy, os ODS são fundamentais para o futuro do setor mineral mundial. “Os objetivos globais representam uma oportunidade para a indústria da mineração além de reforçar suas práticas de sustentabilidade, em especial a gestão de riscos e impactos socioambientais, focar seu investimento social voluntário em objetivos comuns, articulados de forma intersetorial, voltados para o desenvolvimento local dos territórios onde as mineradoras operam”, afirma.

 

A contribuição do setor mineral para essa agenda se dá em dois níveis: interno e externo. “No âmbito interno, as empresas precisam gerir os impactos negativos/positivos e identificar as oportunidades/ameaças socioambientais de seus negócios, em temas abrangentes como direitos humanos e mudanças climáticas. No âmbito externo, as empresas precisam atuar em conjunto com diversos stakeholders locais, se reconhecendo como parte do processo, alinhando as expectativas de todas as partes e realmente contribuindo com o desenvolvimento dos territórios em questão”, analisa Isis.

 

A temática será debatida no Painel “Mineração e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável”, no segundo dia do Congresso (19.9), às 14h. Além da Diretora-Presidente Fundação VALE, estarão presentes também Nicolas Maennling, Economista Sênior e Pesquisador Política, Ruben Marcus Fernandes, Presidente da Anglo American, Cloves Otávio Nunes de Carvalho, Diretor Presidente do Instituto Votorantim, Haroldo Machado, Assessor Sênior do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e Maria José Salum, Diretora de Desenvolvimento Sustentável do Ministério de Minas e Energia (MME).

 

Participe do Congresso Brasileiro de Mineração

 

Os interessados em participar do Congresso podem fazer inscrição pelo site da EXPOSIBRAM. As taxas variam conforme categorias e prazos de pagamento. Associados e não associados ao IBRAM, professores ou estudantes universitários e profissionais seniores encontram melhores preços antecipando pagamento pela internet. É possível ainda efetuar inscrição pela web via cartão de crédito ou boleto bancário até 14 de setembro. Após essa data, só serão aceitos registros no local do evento.

 

Com o tema “Um Olhar sobre o Futuro da Mineração”, especialistas brasileiros e internacionais irão debater na EXPOSIBRAM esse e outros assuntos que levam em conta o contexto político e socioeconômico global, bem como as perspectivas dos negócios da indústria mineral para as próximas décadas.

 

Sobre ODS

 

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS) foram lançados pela Organização das Nações Unidas (ONU) em setembro de 2015, dando sequência ao trabalho iniciado no ano 2000 com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). Composto de 17 objetivos e 169 metas a serem perseguidas pelos 198 países signatários até 2030, os ODS integram a “Agenda 2030” da ONU. Nesta agenda estão previstas ações mundiais para a inclusão social, a sustentabilidade ambiental e o desenvolvimento econômico.

 

Serviço:

Exposibram 2017

Data: 18 a 21 de setembro de 2017

Local: Expominas (Av. Amazonas, 6200 - Gameleira, Belo Horizonte – MG)

Mais informações: http://exposibram.org.br/  

 

 

Presidente do BNDES confirma participação em talk show da EXPOSIBRAM
4.9.2017

 

Discussão será mediada pelo jornalista William Waack e contará com a participação dos CEOS das principais mineradoras que atuam no Brasil

 

Dezenas de renomados analistas brasileiros e estrangeiros, entre os quais vários CEOs de empresas globais, estarão em Belo Horizonte (MG) em um dos mais importantes eventos de mineração da América Latina, a Exposição Internacional de Mineração (EXPOSIBRAM) e o Congresso Brasileiro de Mineração para mostrar os caminhos que o Brasil precisa percorrer para ser mais atrativo aos investimentos bilionários no setor de mineração. O CEO do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro já confirmou sua presença no talk show“Cenário político e econômico, atração de capitais no Brasil e no mundo”.

 

Entre os convidados também confirmados para conversa estão o Ministro de Minas e Energia Fernando Coelho Filho, , Paulo Rabello de Castro, o CEO da Vale, Fabio Schvartsman, o CEO da Alcoa World Alumina Brasil, Otávio Carvalheira e o CEO da Votorantim Metais, Tito Martins. O evento será no dia 18 de setembro às 15 horas.

 

A programação completa está disponível em http://www.exposibram.org.br/programacao.asp

 

 

NLMK South America participa da Exposibram 2017, em Belo Horizonte
1.9.2017

 

Chapas de aço QUARD, resistente à abrasão e ao impacto em aplicações de setores como o da mineração, estão disponíveis para pronta entrega em todo o país

 

A NLMK Group, líder mundial na fabricação de aços especiais e uma das companhias mais eficientes e rentáveis no setor, traz para a da EXPOSIBRAM 2017, que acontece de 18 a 21 de setembro, na cidade de Belo Horizonte (MG), no Expominas - Centro de Feiras e Convenções, suas chapas antidesgaste QUARD e seu aço de alta resistência QUEND. O primeiro é um aço resistente à abrasão projetado para resistir ao desgaste em aplicações de diversos setores, como o da mineração. Já o segundo refere-se a um alto limite de escoamento em aços desenvolvidos para aplicação onde se busca redução de peso, que exige alta capacidade de carregamento, como elevação ou transporte.

 

“Para esta edição da Exposibram 2017, destacamos o QUARD 550, um chapa de aço com altíssima resistência ao desgaste severo, que tende a substituir os aços 600 Brinell disponíveis no mercado, pois o QUARD 550 possui melhor soldabilidade, a resistência ao desgaste será muito próxima e reduzirá custo ao cliente final pois seu preço de venda é mais competitivo, tornando-o desta forma a chapa com o melhor custo x benefício do mercado para aplicações submetidas ao desgaste severo”, afirma Paulo Seabra, diretor geral para América do Sul da empresa.

 

Seabra explica que a empresa conta com estoque nacionalizado, por isso, garante entrega das chapas em até 48 horas para toda região Sul e Sudeste do Brasil. Para demais regiões do Brasil, dependendo da distância, seria um, dois ou três dias adicionais. “Fizemos um investimento grande para garantir um estoque para pronta entrega, com nota fiscal do Brasil e frete incluso”, diz.

 

As durabilidades das chapas QUARD e QUEND as tornam ideais para máquinas grandes usadas em condições exigentes. As chapas QUARD são produzidas com minério de ferro puro, enquanto outras chapas concorrentes são produzidas desde sucata reciclada. Isso torna as chapas QUARD as mais puras e top da linha premium que estão disponíveis no mercado brasileiro. Além disso, possuem propriedades excepcionais, pois permitem corte de alta precisão independentemente da técnica usada; usinagem, fresagem, furação e escareamento são feitos sem falhas; o raio de dobramento é reduzido para melhor desempenho; e a soldagem é de maneira mais fácil com um resultado de qualidade, enquanto mantém altas propriedades mecânicas das chapas.

 

A utilidade máxima só pode ser conseguida devido à combinação exclusiva de quatro fatores: planicidade, acabamento de superficial, tolerâncias de espessura e uma composição química otimizada de baixa liga com nível de pureza de aço muito acima do padrão. A NLMK é a única fabricante reconhecida e especializada na fabricação de chapas, tanto finas quanto grossas no setor de chapas de aço Q&T (temperadas e revenidas). As chapas antidesgaste e estrutural estão disponíveis para pronta entrega desde o estoque local da NLMK South America, no Brasil, em espessuras de 3 - 160mm e largura de 1500 – 3100 mm.

 

As chapas QUARD são feitas em um aço martensítico resistente ao desgaste. O QUARD 400 possui dureza média de 400 HBW; no QUARD 450 é de 450HBW; no QUARD 500 é de 500HBW; no QUARD 550 é de 550HBW. Devido à sua versatilidade em termos de resistências ao impacto, capacidade de conformação a frio e excelentes condições de soldagem, o QUARD 400 combina alta produtividade na fabricação de peças que exigem conformação e maior vida útil ao desgaste. É ideal para equipamentos de britagem e moagem; caçambas, lâminas, britadores e alimentadores; prensas conformadoras; separadores; peças para escavadeiras; sistemas de tubulação para substratos pastosos e transportadores de roscas.

 

O QUARD 450 oferece alta resistência ao desgaste e ao impacto, resultando em uma maior vida útil. A combinação da propriedade de conformação a frio e soldabilidade faz do QUARD 450 a escolha mais apropriada para a maioria das aplicações submetidas a desgaste e impacto. O QUARD 450 é recomendado para caçambas de caminhões rodoviários e fora da estrada; misturadores de cimento e betoneiras; coletores de lixo e contêineres para sucata; caçambas e lâminas; alimentadores, separadores e roscas transportadoras; equipamentos para mineração e movimentação de terra.

 

O QUARD 500 é um aço martensítico resistente ao desgaste com dureza média de 500 HBW. Sua altíssima resistência ao desgaste por abrasão e impacto o torna ideal quando se busca uma maior vida útil. Com a combinação de elevada dureza e propriedades mecânicas, QUARD 500 é a melhor escolha para as indústrias de reciclagem e mineração. É recomendado para as seguintes aplicações: peneiras; equipamento de britagem e moagem; esteiras transportadoras; garras e prensa de sucata.

 

O QUARD 550 possui a altíssima dureza média de 550 HBW. Sua excepcional resistência ao desgaste por abrasão o torna ideal quando se busca a maior vida útil possível em aplicações submetidas a desgaste por abrasão e impacto. Com a combinação de elevada dureza e propriedades mecânicas superiores, QUARD 550 é a melhor escolha para as aplicações em mineração onde o desgaste é severo e onde se busca alternativas para redução de custo aos aços 600 Brinell existentes no mercado.

 

Em todos os casos de chapas QUARD, o produto recebe uma pintura com um primer especial de baixo zinco, na cor verde, juntamente com um número de série individual por chapa, funcionando como o RG da peça, ideal para o seu rastreamento. Isto é possível graças ao controle que a NLMK tem de seus produtos, proporcionando ao comprador, exclusividade. Desta forma, os clientes podem auditar seus recebimentos, ficando fácil de identificar uma chapa QUARD e exigir dos seus fornecedores as chapas originais QUARD, pois nenhuma outra chapa possui esta pintura com o primer verde.

 

Em relação às chapas QUEND, são feitas em aço estrutural com extra-alta resistência, produzidas, temperadas e revenidas, com limite de escoamento mínimo de 700mpa. A QUEND 700 é recomendada para chassi de caminhão, equipamento de elevação e içamento, equipamento de movimentação e carretas.

 

A QUEND 960 tem um escoamento mínimo de 960 MPa e pode ser utilizada em lança de guindaste, equipamento de elevação, suportes estabilizadores, chassis, entre outros.

 

“A NLMK Clabecq possui mais de 220 anos de experiência na produção de chapas de aço, combinada com extensa experiência em laminação, movimentação e transporte. Por isso, produtividade é a palavra chave para os produtos fabricados com as chapas QUARD. Nossos aços são produzidos na usina NLMK Clabecq na Bélgica, localizada a poucos quilômetros do porto de Antuérpia, nos dando uma vantagem competitiva em logística para a América do Sul.”, finaliza Paulo Seabra.

 

Sobre a NLMK – Fundada em 1934, a Novolipestsk Steel, NLMK, possui um dos mais eficientes sistemas integrados de aço do mundo. Seus produtos de alta qualidade são utilizados em vários segmentos da indústria, de construção a engenharia de fabricação de equipamentos para geração de energia e turbinas eólicas. Com bases de produção localizadas na Rússia, Europa e Estados Unidos, a companhia é considerada uma das mais rentáveis do mundo.

 

 

Tendência por economia de combustível otimizada  pelo uso de fluido hidráulico de alto desempenho

1.9.2017

               
“Como deixar as máquinas para construção e mineração mais eficientes?” Os fabricantes de máquinas responderiam a essa pergunta assim: Mediante ajustes no motor, nas bombas, nos sistemas de acionamento e na parte hidráulica". E eles estão certos. Todas essas medidas abrem novos potenciais de economia. Mas há um modo ainda mais simples…

“A simples substituição do fluido hidráulico pode contribuir para a economia de combustível, mesmo – e especialmente – em máquinas para construção e mineração usadas”, explica Rolf Fianke, Global Marketing Manager para a tecnologia DYNAVIS® na Evonik.

 

Com a mensagem central “More Power. Less Fuel”, ou seja, mais potência, menos combustível, a tecnologia DYNAVIS® está se tornando sinônimo de fluidos hidráulicos mais eficientes.

 

As empreiteiras de construção que querem explorar todo o potencial de suas máquinas, ou de suas frotas, estão convidadas a conhecer a equipe da tecnologia DYNAVIS® na Exposibram 2017. Em nosso estande, elas irão conhecer a história da Nuova Ghizzoni S.p.A, empresa italiana do setor de tubulações, que substituiu o óleo de toda a sua frota de escavadeiras hidráulicas por um fluido formulado com a tecnologia DYNAVIS® por uma licenciada DYNAVIS® – e isso depois de ter feito um único teste. 

Os fabricantes de máquinas também estão convidados a conhecer o potencial dos fluidos hidráulicos formulados com a tecnologia DYNAVIS®. Muitos fabricantes de máquinas de construção e mineração têm seu próprio programa de lubrificantes, usando suas próprias marcas.

 

DYNAVIS® com parceiros de importantes marcas globais 

Outro grupo com interesse potencial na tecnologia DYNAVIS® consiste em fabricantes de lubrificantes que querem fazer parte da tendência por maior eficiência. No curto período de cinco anos em que a equipe DYNAVIS® está participando sistematicamente de feiras e conquistando presença de mercado por meio de testes comparativos, ela já conquistou diversos parceiros globais importantes. A lista crescente inclui empresas como a Total, multinacional francesa de petróleo e gás; a Indian Oil Corporation, gigante indiana de energia; especialistas americanos em lubrificantes como a empresa Schaeffer Oil, além do produtor alemão de lubrificantes Hermann Bantleon GmbH. O que todos esses fabricantes de lubrificantes têm em comum é a vontade de ganhar substancial participação de mercado no setor de fluidos hidráulicos de alta performance.  


Mudança de paradigma para fluidos hidráulicos distantes dos óleos monograu ou multigrau convencionais


Até agora, praticamente toda empresa de construção tem tentado economizar custos em lubrificantes: A regra básica era a de que o fluido hidráulico mais barato que satisfizesse as especificações do fabricante seria bom o bastante.  Mas os tempos mudaram e a presença da DYNAVIS® na imprensa do setor da construção internacional e na Intermate em Paris, na bauma China e na Alemanha e na Conexpo em Las Vegas, tem contribuído de modo significativo para essa mudança. Já não é segredo: os fluidos hidráulicos de alta performance formulados com a tecnolodia DYNAVIS® economizam mais dinheiro do que custam. 

 

Números empolgantes de máquinas de construção em operação

A equipe da tecnologia DYNAVIS® pode fornecer estudos de casos atuais provando que ganhos de eficiência resultantes do uso de um fluido hidráulico melhor não só são possíveis como são uma realidade. Na verdade, a faixa de lucro muitas vezes é atingida com surpreendente rapidez, com economias de combustível de 10% - e de até 30% sob cargas extremas. 

A marca DYNAVIS® não representa um fluido hidráulico e sim uma tecnologia e um pacote completo de suporte de formulação e serviços globais, usando um aditivo que melhora o índice de viscosidade dos fluidos hidráulicos. Fluidos formulados de acordo com os rigorosos padrões de desempenho da tecnologia DYNAVIS® podem ser reconhecidos pelo rótulo azul e dourado da DYNAVIS®. 

 

 Operacional e com sucesso no mundo inteiro 

O benefício da formulação com a tecnologia DYNAVIS® não se resume só à economia de combustível. Graças à tecnologia DYNAVIS, mesmo em baixas temperaturas, o fluido hidráulico de viscosidade otimizada mantém a sua fluidez, permitindo partidas confiáveis e, com isso, aumentando a eficiência mecânica. Além de sua capacidade de bombeamento confiável em baixa temperatura, no espectro mais alto da temperatura de operação, a tecnologia DYNAVIS® mantém a eficiência do sistema hidráulico fazendo uma 'verificação' permanente de vazamentos internos.

 

A redução de vazamentos internos em altas temperaturas leva à melhora da eficiência do sistema hidráulico e à otimização das características de resposta da máquina como um todo. Como muitos usuários reportam, esses benefícios podem ser claramente constatados em máquinas em que as folgas de vedação de bombas e cilindros possuem tolerâncias.

 

Os efeitos da tecnologia DYNAVIS® na prática

Testes de campo revelaram que, além do aumento da eficiência, a formulação de fluidos hidráulicos com a tecnologia DYNAVIS® melhora de modo perceptível o manuseio de escavadeiras hidráulicas, mesmo quando está muito calor e após várias horas de trabalho ininterrupto. Essas escavadeiras continuam respondendo pronta e precisamente aos comandos de controle.  Uma unidade de peneiramento em uma mina de areia na Lituânia, por exemplo, apresentou uma melhora incrível na suavidade de funcionamento. A operação do sistema ficou mais silenciosa e permitiu a economia de três litros de diesel por hora de operação. 

 

Comprove o efeito DYNAVIS® sobre fluidos hidráulicos no estande DYNAVIS®

Para convencer a indústria da construção e mineração dos benefícios e do impacto positivo de fluidos hidráulicos melhorados, a Evonik desenvolveu uma ampla e compreensiva variedade de ferramentas de marketing digital para a tecnologia DYNAVIS®. Essas ferramentas, que estarão disponíveis na Exposibram 2017, incluem calculadores de lucratividade, vídeos explicativos, programas de treinamento interativos e estudos de casos de aplicações variadas. 

Em destaque adicional no estande, o visitante encontrará as “Efficiency Bikes”, que são duas bicicletas de fitness tecnicamente idênticas. Ambas são acionadas por bombas hidráulicas comparáveis às usadas em máquinas de construção. Um dos sistemas hidráulicos contém um fluido formulado com tecnologia DYNAVIS® e o outro, um fluido hidráulico convencional. Uma coluna de líquido indica o quanto o fluido DYNAVIS® funciona melhor à medida que o "ciclista" pedala e aplica a força de bombeamento. 

Os parceiros DYNAVIS® se beneficiam da comunicação global intensiva e estratégica da marca. Por trás da marca, está a Evonik Industries, um dos maiores grupos globais de especialidades químicas. A Evonik foca em megatendências de alto crescimento como, por exemplo, eficiência de recursos, para a qual a tecnologia DYNAVIS® faz uma importante contribuição.  

 

DYNAVIS® estará representada na Exposibram 2017, no estande localizado na rua K 7, de 18 a 21 de setembro de 2017. Mais informações em www.dynavis.com

 

 

EXPOSIBRAM: empresários holandeses vêm apresentar cases e debater soluções para os desafios brasileiros

31.8.2017

 

Como um país com um quarto do território situado abaixo do nível do mar e sob constante risco de inundações se reinventou para garantir sua existência? Inovadores por natureza, os holandeses desenvolveram um modelo de vida que aproveita a presença da água amplamente, com eficiência e segurança, de modo sustentável e economicamente viável.


As soluções e tecnologias da Holanda na gestão e uso desse bem precioso são aplicadas em diversos países graças ao know-how desenvolvido durante anos por meio da intensiva cooperação entre poder público, iniciativa privada e universidades. O país dispõe de 16,5 mil quilômetros de diques e 898 centros de monitoramento de água. O investimento em tecnologia estimulou a economia local, que conta com 1.500 empresas especializadas no uso da água.


A atividade de mineração, que hoje se encontra em expansão no Brasil, só é possível com ampla utilização de água no processo que vai da extração, beneficiamento e até por vezes no transporte dos minérios. Entre os desafios que permeiam a atividade minerária está a prevenção de desastres como o de novembro de 2015 em Mariana (MG), com o rompimento de uma barragem de rejeitos, ou o que ocorreu em maio de 2016 na China, em uma operação de mineração de lítio. Ambos os casos envolvem poluição de rios e consequente devastação ambiental.


Durante a 17ª edição da Exposibram -- Exposição Internacional de Mineração e o Congresso Brasileiro de Mineração em Belo Horizonte, empresas holandesas virão apresentar seus cases e experiências para desenvolver soluções conjuntas para a realidade brasileira. Quatro temas principais integram o programa da missão: gerenciamento de barragens, monitoramento e eficiência de recursos hídricos, água potável e tratamento de rejeitos líquidos.


Em cada uma dessas frentes, empresas de origem holandesa trarão soluções tecnológicas voltadas a atender demandas prementes no setor de tratamento e uso de recursos hídricos no Brasil. Da melhoria dos índices de saneamento básico, passando por soluções para a despoluição de rios e reservatórios de água, a Holanda pretende dividir com o Brasil a tecnologia desenvolvida ao longo de décadas.


 “Esta será uma oportunidade para conhecer de perto a expertise holandesa – referência mundial em gestão de recursos hídricos --, com mais de duzentos projetos espalhados pelo mundo”, conta Daniel Boef, Representante Chefe do NBSO (Netherlands Business Support Office), escritório holandês de apoio aos negócios no Brasil.


Confira, a seguir, o que as empresas holandesas e dois institutos de pesquisas com participação confirmada na Exposibram pretendem oferecer ao mercado brasileiro.


A Hencon desenvolve equipamentos de transporte industrial há 61 anos. Hoje, além de ser a líder do mercado de veículos para a indústria siderúrgica, tem uma linha de veículos utilitários para a mineração subterrânea, incluindo caminhões para transporte de explosivos e veículos com plataforma elevatória para trabalhos no teto de minas. A Hencon também oferece serviços de manutenção, reforma de equipamentos e treinamentos, sempre prezando pelo custo-benefício e durabilidade de seus produtos especializados.


A Deltares, instituto independente de pesquisa aplicada para água com sede em Delft desenvolve soluções inteligentes para as áreas de meio ambiente, infraestrutura, recursos hídricos, prevenção de enchentes e de projetos específicos em delta de rios. A Deltares trabalha em parceria com governos, empresas, outros institutos de pesquisa e universidades de vários países.


A Alia Instruments produz equipamentos de monitoramento para a indústria marítima e de mineração. Sediada em Twente, polo tecnológico da Holanda, a Alia desenvolveu um dispositivo não nuclear de medição de densidade, uma inovação tecnológica e de solução limpa. A empresa tem uma forte parceria, principalmente na área de pesquisa, com a Twente University, agregando expertise aos produtos e uma visão moderna de atendimento ao cliente.


A TEMA BV, que integra o grupo Siebtechnik/Steinhaus, é especializada na comercialização de sistemas e equipamentos destinados ao processamento de matérias-primas das indústrias de mineração, química, reciclagem e farmacêutica. Com mais de 90 anos de experiência na área, a empresa comercializa máquinas de separação de sólidos e líquidos, trituração e centrifugação.

A IHC Mining produz embarcações e equipamentos pesados voltados para mineração marítima. A linha de produtos inclui navios de draga, retroescavadeiras, barcaças e equipamentos usados na extração mineral em águas profundas e em sondagens subaquáticas com plataformas.


A Damen é um estaleiro internacional que produz embarcações para todo tipo de finalidade, de rebocadores a navios-patrulha, mas o destaque de sua participação na Exposibram são os equipamentos utilizados na área de extração mineral, incluindo balsas e equipamentos de dragagem.


A Royal HaskoningDHV, presente em mais de 30 países, atua em vários setores. Na área de mineração, oferece consultoria e gerenciamento de recursos que abrangem toda a cadeia produtiva mineral, de estudos técnicos ao acompanhamento de projetos. Na área de água, o portfólio também é amplo e inclui tratamento de água e resíduos, monitoramento de áreas sujeitas a inundação e estruturas marítimas.


A NHTV (Universidade NHTV Breda de Ciências Aplicadas), localizada no sul da Holanda, oferece consultoria nas áreas de conservação de identidade cultural, no resgate do patrimônio cultural e no desenvolvimento ou recuperação de turismo de regiões degradadas. O interesse da NHTV para esta missão se insere no contexto da recuperação do Rio Doce, mais especificamente no Projeto Renova, nos municípios afetados e na parceria com universidades da região.


Já a Wetlandtec  é uma das empresas mais conceituadas do mundo na área de purificação de água, com soluções modernas e ambientalmente responsáveis no tratamento de águas residuais e para reuso. Seu processo altamente especializado para recuperação de nutrientes (metais, fosfato ou óleos finos) de águas residuais será destaque no portfólio da empresa a ser apresentado na Exposibram.


Além da presença no estande S130 do pavilhão da Exposibram, as empresas holandesas farão uma palestra técnica onde deverão detalhar seu portfólio de serviços. A apresentação está marcada para quarta-feira, dia 20 de setembro, das 13h30 às 15h, no Auditório Turmalina - Sala 6.


No dia seguinte, quinta-feira, dia 21 de setembro, Dirk-Jan Koch, Enviado Especial da Holanda para Recursos Naturais, fará uma palestra das 14h às 15h30 no Auditório Turquesa. O tema é O papel da mineração na governança da água.

 

SERVIÇO:

EXPOSIBRAM

Data:  18 a 21 de setembro de 2017 Horário: 13h às 21h

Local: Expominas (Centro de Feiras e Exposições George Norman Kutova)

Av. Amazonas, 6030 - Bairro da Gameleira, Belo Horizonte, MG

Estande da Holanda: S130 no nível Pavilhão

 

 

EXPOSIBRAM 2017: BEUMER apresenta soluções para transporte e carregamento
30.8.2017

 

Na Exposição Internacional de Mineração (EXPOSIBRAM 2017), a ser realizada de 18 a 21 de setembro deste ano na cidade de Belo Horizonte (MG), o BEUMER Group estará presente no estande Y40, apresentando as suas soluções de sistema em tecnologia de transporte e de carregamento. O portfólio abrange toda a engenharia e a construção de transportadores de correia côncava curvilíneos e Pipe Conveyors, pátios de homogeneização, pátios circulares e terminais de transbordo.

 

Para poder transportar diferentes matérias-primas, tais como carvão ou minério, ao longo de percursos extensos e por terrenos acidentados, o BEUMER Group tem em seu portfólio transportadores de correia curvilíneos. Os mesmos consistem em transportadores de correia côncava abertos ou em Pipe Conveyor fechados. Em geral, tais transportadores são mais rápidos, econômicos e ecológicos no transporte de materiais a granel quando comparados ao uso de caminhões.

 

Para homogeneizar eficientemente grandes quantidades de diferentes materiais a granel e assegurar a uniformidade das matérias-primas utilizadas, o BEUMER Group tem em seu portfólio empilhadeiras e retomadoras tipo ponte. Com os elevadores de caçambas de alta capacidade e eficiência do BEUMER Group, é possível transportar materiais de alta granulometria e abrasividade.

 

Além disso, os visitantes descobrirão tudo sobre as trombas de carregamento a granel do BEUMER, Group com as quais também é possível carregar grandes quantidades de materiais a granel de forma rápida e praticamente isenta de pó em “veículos silo”. Se for preciso carregar sacos em navios ou vagões, então existem diversos dispositivos telescópicos de carregamento à disposição. O sistema de carregamento BEUMER autopac® empilha sacos cheios de forma totalmente automática sem usar paletes.

 

 

Exposibram 2017: Quimatic Tapmatic lança solução para reparo de vazamentos em tubulações e expõe ampla linha de produtos para manutenção em mineradoras
25.8.2017

 

Durante a Exposibram 2017 - de 18 a 21 de setembro no Expominas, em Belo Horizonte (MG) - a fabricante de especialidades químicas Quimatic Tapmatic irá expor soluções para o aumento de produtividade e redução de custos no setor de mineração.


O grande destaque da empresa no evento será o lançamento oficial da bandagem industrial TAPEREPAIR® high strength, que garante o reparo emergencial de tubulações em até 5 minutos e, após a cura total em 30 minutos, permite voltar a utilizar imediatamente a instalação.


“Nas mineradoras, boa parte da movimentação de minerais é feita com auxílio de água e, por isso, as companhias precisam estar preparadas para reparar vazamentos inesperados em tubulações de forma rápida e eficaz”, explica Marcelo Françoso, gerente Comercial da Quimatic Tapmatic.


Fácil de aplicar e muito resistente, a bandagem TAPEREPAIR®  é impregnada com resina polimérica, hidroativada em água doce ou salgada, e repara de forma segura e eficaz tubulações feitas de metal, plásticos ou fibras.


A Quimatic Tapmatic demonstrará na prática a aplicação da solução em seu estande na Exposibram: para isso, a empresa levará ao evento um dispositivo que simulará o vazamento em tubulações e o reparo será feito ao vivo para esclarecer eventuais dúvidas de visitantes. Mais informações sobre TAPEREPAIR® no link: http://www.quimatic.com.br/produtos/reparo-vazamentos/taperepair/


Outro destaque Quimatic Tapmatic na Exposibram é a linha de resinas epóxi Plasteel, capaz de aumentar em até 50% a vida útil de equipamentos utilizados na mineração.


Os produtos recuperam e protegem moinhos de bola, decks, peneiras, entre outras máquinas, equipamentos e estruturas que são danificadas pela abrasão, ataque químico e corrosão presentes no processo de mineração.


“Ao investir em manutenções preventivas e corretivas com Plasteel, as mineradoras reduzem o número paradas emergenciais de máquinas, conquistam maior produtividade e podem alcançar uma economia de até 80% na comparação com o valor que seria gasto na compra, muitas vezes prematura, de equipamentos novos” enfatiza Jonas Guimarães, gerente comercial da Quimatic Tapmatic.


Os reparos efetuados com as soluções são rápidos e, dependendo da aplicação, podem ser realizados no próprio local, sem a necessidade de desmontagem dos elementos mecânicos.

 A empresa cita como exemplo de economia a recuperação de bombas centrífugas (caracol) para polpa de minério. Enquanto uma bomba nova custa em média R$ 13,7 mil, a recuperação com as resinas epóxi da linha Plasteel sai por cerca de R$ 3,5 mil, o que representa uma economia de R$ 10,2 mil (74,4%). “Além da ampla redução de custos para as mineradoras, a reparação garante um tempo de vida útil similar à de um equipamento novo”, destaca Guimarães.


A Quimatic Tapmatic também irá expor na Exposibram o desengraxante Quimatic ED SOLV, com nova fórmula mais eficiente e com odor cítrico mais leve. O produto voltado para todos os tipos de metal agora age 10% mais rápido e continua com atrativos que fizeram da versão anterior um grande sucesso, como o uso de aditivo ED (Extremo Desengraxe) e uma formulação ecologicamente correta, à base d’água, biodegradável e não inflamável.


Para mais informações sobre a família de produtos da empresa para o setor de mineração, acesse http://www.quimatic.com.br/solucoes-industria/mineradoras/

 

Serviço:

Exposibram 2017 – Exposição Internacional de Mineração.

De 18 a 21 de setembro, das 13h às 21h, no Expominas, em Belo Horizonte (MG)

www.exposibram.org.br/

Localização da Quimatic Tapmatic: Rua i Estande  18

 

 

Schmersal lança sistemas de controle e manutenção em transportadores de correia
24.8.2017


Multinacional alemã líder mundial em sistemas de segurança para máquinas industriais, a Schmersal apresenta os novos sistemas de controle e automação para manutenção preventiva em transportadores de correia, em parceria com a Coal Control Mining, durante a 17ª Exposibram, Exposição Internacional de Mineração que acontece de 18 a 21 de setembro em Belo Horizonte (MG). O estande da Schmersal é o O-19.


São quatro soluções de controle e automação para transportadores de correia: o Speed Control monitora a velocidade; o Splice Control monitora as emendas; o Rip Control detecta antecipadamente cortes longitudinais e o Cord Control monitora os cabos de aço interno.


Além do lançamento, a Schmersal mostra soluções completas de segurança e automação para o segmento de mineração. As Chaves de Emergência Z3Z500 e Botoeiras de Emergência EAL com módulos de comunicação Dupline Safe são fáceis de projetar, instalar e colocar em funcionamento. As soluções reduzem os custos em comparação com cabeamento tradicional. 


Dotados de cabeamento simples e flexível, os produtos contam ainda com a opção de usar cabos existentes. As paradas de máquina são localizadas rapidamente, promovendo maior produtividade. Contam com fácil integração com PCs, PLCs e IHMs para o controle do sistema de segurança.


Os visitantes do estande da Schmersal também poderão conhecer o Sensor Indutivo EX IFL, indicado para aplicação em atmosferas explosivas (zonas 20, 21 e 22). Com fabricação nacional, o Sensor Indutivo EX IFL é empregado em mineradoras, siderúrgicas, portos e demais ambientes agressivos. Por fim, os Blocos de Contato EX, que podem ser instalados em atmosferas explosivas zonas 1, 2 (gases, vapores e neblinas) e M2 (mineradoras de carvão). De fabricação nacional, possui certificação Inmetro, IECEX e ATEX.

 

 

 

 

Kepler Weber apresenta soluções para o mercado de mineração na Exposibram
24.8.2017


Companhia oferece equipamentos com soluções integradas para movimentação de minérios

Os visitantes da Exposibram – Exposição Internacional de Mineração, evento que acontece entre os dias 18 e 21 de setembro, em Belo Horizonte (MG), poderão conferir os equipamentos e soluções para movimentação de minérios produzidos pela Kepler Weber.


A companhia vai apresentar seu portfólio especialmente desenvolvido para esse segmento, que inclui equipamentos de longa durabilidade e robustez para altas capacidades, desenvolvidas de acordo com a necessidade de cada cliente.


Os investimentos da Kepler na área refletem a constante preocupação da companhia em desenvolver produtos cada vez mais eficientes e modernos, que elevem a rentabilidade de seus clientes, ao mesmo tempo em que contribuam para o desenvolvimento deste que é um dos setores básicos da economia brasileira.


“A mineração tem a capacidade de oferecer matéria-prima para diversas indústrias e, consequentemente, colaborar com a geração de empregos qualificados e renda para o país. O potencial desse setor tem atraído investimentos cada vez maiores, gerando desenvolvimento para a mineração e impactos positivos para a economia do país”, avalia Olivier Colas, vice-presidente da Kepler Weber.


Diferenciais


A Kepler Weber leva à Exposibram seu know how para o setor de mineração com equipamentos customizados para cada projeto. Destacam-se os Transportadores de Correias Verticais, constituídos por equipamentos de grande flexibilidade, com layout compacto, que proporcionam grande economia de espaço, sem impactar na capacidade operacional. A grande variedade de materiais oferece vantagem econômica nas obras civis e na montagem, quando comparada com equipamentos convencionais.


Os Transportadores de Correia Móveis, formados por equipamentos derivados de transportadores convencionais utilizados para execução de pilhas dentro de armazéns ou em pátio aberto, apresentam diferentes tipos de acionamentos.


Outra solução são os Alimentadores, equipamentos com construção robusta e baixas velocidades. Trabalhando, geralmente, em conjunto com as Moegas, os Alimentadores proporcionam uma operação eficiente e contínua na extração do mineral.


As soluções implementadas à indústria de mineração agregam robustez ao portfólio da Kepler Weber, que também desenvolve equipamentos para movimentação de granéis sólidos em terminais portuários.

 

 

EXPOSIBRAM 2017 debate Internet das Coisas na Mineração

22/8/2017

 

Com o tema “Um Olhar sobre o Futuro da Mineração”, especialistas brasileiros e internacionais estarão reunidos entre os dias 18 a 21 de setembro em prol da atividade minerária 

 

A Internet das Coisas (IoT) está transformando a indústria. Termo criado pelo especialista britânico Kevin Ashton, do Instituto de Tecnologia de Massachusettsch (MIT), nos Estados Unidos, em 1999, tem como meta levar conectividade, sensores e inteligência para qualquer setor da sociedade.

 

No segmento de mineração  a Internet das Coisas já começa a ser realidade. O tema será um dos destaques da programação do  17º Congresso Brasileiro de Mineração, encontro realizado simultaneamente com a Exposição Internacional de Mineração (EXPOSIBRAM). O evento,  promovido pelo Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), ocorrerá entre os dias 18 e 21 de setembro, em Belo Horizonte (MG).

 

Para Constantino Seixas Filho, diretor geral da Accenture e palestrante do evento, a EXPOSIBRAM é o fórum ideal para debater as inovações e as necessidades da indústria de mineração. "É o momento de discutir como agilizar a modernização do processo produtivo, buscando aumento de eficiência e de competitividade das empresas brasileiras. A Industry X.0 se coloca como uma solução para diversos problemas desse segmento, mas o tema ainda precisa ser melhor disseminado. É imensa a desinformação sobre o potencial das novas tecnologias".

 

Palestrante no painel "A Digitalização Iminente e a Internet das Coisas na Mineração", Constantino acredita que o evento será uma oportunidade para mostrar a todos os atores presentes que há caminhos viáveis quando o assunto é tecnologia e que outras empresas já estão trilhando.

 

O impacto da IIoT(Industrial Internet of Things) na área mineral é muito grande e se dá em diversas dimensões. O connected Mine é um exemplo disso. “A solução de mina conectada visa colher informações de todos os sistemas produtivos, da mina ao porto, armazená-los na nuvem, realizar data analytics de forma centralizada e depois distribuir o resultado para todos os gerentes e operadores da cadeia de produção, por meio de tablets”, explica Constantino.

 

Outro exemplo é o Connected Worker. Por meio de aparelhos eletrônicos com internet como óculos, celulares e tablets, o operador de campo pode executar um trabalho com mais agilidade, segurança e qualidade. “Imagine ter que realizar uma manutenção de campo e dispor de todos os documentos em formato digital em um tablet, incluindo diagramas P&IDs, procedimentos de manutenção de calibração de uma balança ou de inspeção de campo. A ineficiência dos processos de campo sem esse tipo de assistência é enorme. Agora e possível reduzir uma atividade que levaria dias a alguns minutos”, detalha.

 

Para Constantino, a implementação de novas tecnologias no setor industrial tem muitos desafios a serem enfrentados. O primeiro e maior deles é realizar a chamada convergência IT-OT, isto é, ajunção dos sistemas de TI com os sistemas de operação. “Enquanto essa governança não for unificada e as arquiteturas não forem integradas, teremos dificuldades para evoluir na velocidade que a revolução digital exige. Também precisamos de investimentos na infraestrutura. Esse desafio tem que ser enxergado como um compromisso da organização e não de uma área operacional, que precise implantar um projeto para ganhar produtividade”, afirma.

 

Com o tema “Um Olhar sobre o Futuro da Mineração”, especialistas brasileiros e internacionais irão debater na EXPOSIBRAM esse e outros assuntos que levam em conta o contexto político e socioeconômico global, bem como as perspectivas dos negócios da indústria mineral para as próximas décadas. 

 

 

 

Soluções de britagem móvel e carregamento de minérios são os destaques da thyssenkrupp na Exposibram 2017

21/8/2017

 

Uma das líderes mundiais em tecnologia e serviços de engenharia para o setor de mineração, a empresa também apresenta sua linha de britadores para o segmento de agregados

 

A thyssenkrupp, por meio de sua unidade de negócios Industrial Solutions, está entre os principais expositores da 17ª edição da Exposibram – Exposição Internacional de Mineração, que acontece entre os dias 18 e 21 de setembro em Belo Horizonte (MG). Durante o evento, a empresa, que é uma das líderes globais em tecnologia e serviços de engenharia para mineração, destaca algumas de suas mais inovadoras soluções para o setor, como é o caso dos sistemas de Britagem Móvel e de Carregamento de Vagões (TLO – Train Load-Out).

 

Combinados a correias transportadoras, os equipamentos de britagem móvel da thyssenkrupp têm contribuído para ampliar a produtividade e melhorar a logística nos complexos de mineração. Além de aumentar a segurança operacional ao eliminar o risco de acidentes por meio da substituição dos tradicionais caminhões off-road, a solução também permite reduzir significativamente a pegada de carbono do empreendimento, já que o diesel utilizado nos caminhões responde pela maior parte das emissões de CO2.

 

“Temos projetado e implementado as mais diversas aplicações para sistemas de britagem móvel em grandes minas no Brasil e no exterior. Fomos pioneiros na aplicação dessa tecnologia para minério de ferro”, comenta Leonardo Caporali, vice-presidente de mineração e serviços da thyssenkrupp Industrial Solutions para o Brasil.

 

Outras soluções compõem o portfólio que a thyssenkrupp tem fornecido para grandes projetos de mineração. A empresa foi responsável por desenvolver e implementar no Brasil um dos maiores sistemas de carregamento de vagões com minériode ferro do mundo, com capacidade nominal de 16.000 t/h. Totalmente automatizado, o equipamento elimina erros de operação humana e proporciona melhores resultados para o cliente.

 

A thyssenkrupp também se consolidou como o principal fornecedor dos viradores de vagões utilizados em portos pelos quais as mineradoras fazem o escoamento dos minérios para os mercados consumidores. No Brasil, a empresa entregou mais de 80% dos viradores que entraram em operação na última década, com aplicação não só em mineração, mais em diversos outros segmentos industriais.

 

Além de desenvolver a tecnologia e os equipamentos, a thyssenkrupp é referência global na prestação de serviços que vão desde a engenharia conceitual e básica do projeto na modalidade EPC (Engineering, Procurement, Construction – Engenharia, Suprimentos e Construção) até o comissionamento, start-up e manutenção de plantas completas para o setor de mineração.

 

“Temos expertise para acompanhar nossos clientes em todas as fases de implementação de um projeto de processamento mineral, da mina ao porto”, destaca Marco Antônio de Castro, superintendente de vendas da thyssenkrupp Industrial Solutions para o Brasil, ao acrescentar que a empresa também vem trabalhando em estreita parceira com grandes mineradoras para potencializar os investimentos em melhoria operacional de plantas já em operação.

 

Novas tecnologias para o segmento de agregados

 

Recentemente, a thyssenkrupp ampliou o seu portfólio de equipamentos comercializados no Brasil com o lançamento de uma linha de britagem e peneiramento para o setor de construção civil e agregados em geral. Ela engloba versões padronizadas e compactas das soluções de britagem desenvolvidas especificamente para atender às especificidades da cadeia de produção de agregados.

 

A linha contempla britadores de mandíbulas, de cone Kubria® e peneiras que suportam processos de britagem primária, secundária e terciária de granitos, basaltos, gnaisses, calcários e outras rochas duras e médias-duras. Além de compactas, as máquinas podem ser fixas ou móveis, neste caso sendo montadas sobre rodas. “A linha de produtos para britagem e peneiramento busca agregar flexibilidade e eficiência ao processo de britagem para a produção de agregados e mostram-se ideais para pedreiras e construtoras, além dos tradicionais setores de mineração, cimento e reciclagem.

 

Desenvolvidos com tecnologia de ponta, os equipamentos de britagem e peneiramento da thyssenkrupp são compactos e possuem câmaras de britagem otimizadas que ajudam a reduzir o desgaste das peças, aumentando a disponibilidade mecânica e garantindo maior produtividade e redução nos custos.

 

Serviço:

Exposibram 2017 – Exposição Internacional de Mineração

Quando: 18 a 21 de setembro de 2017

Local: Expominas (Av. Amazonas, 6200 - Gameleira, Belo Horizonte – MG)

Estande da thyssenkrupp: G10 (rua Granada)

Informações: http://exposibram.org.br/  

 

 

 

 

Holanda, água e mineração: empresários holandeses vêm apresentar cases e debater soluções para os desafios brasileiros

18.8.2017

 

Grupo participa da maior feira de mineração do setor no Brasil, a Exposibram (18 a 22 de setembro) e visita a região de Bento Rodrigues e Mariana, afetada pelo desastre de 2015

 

Como um país com um quarto do território situado abaixo do nível do mar e sob constante risco de inundações se reinventou para garantir sua existência? Inovadores por natureza, os holandeses desenvolveram um modelo de vida que aproveita a presença da água amplamente, com eficiência e segurança, de modo sustentável e economicamente viável.

 

As soluções e tecnologias da Holanda na gestão e uso desse bem precioso são aplicadas em diversos países graças ao know-how desenvolvido durante anos por meio da intensiva cooperação entre poder público, iniciativa privada e universidades. O país dispõe de 16,5 mil quilômetros de diques e 898 centros de monitoramento de água. O investimento em tecnologia estimulou a economia local, que conta com 1.500 empresas especializadas no uso da água. A Universidade Técnica de Delft tornou-se referência mundial, considerada a número 1 do mundo na área de pesquisa sobre recursos hídricos e suas diversas aplicações, como mineração.


(https://www.tudelft.nl/en/ceg/about-the-faculty/departments/geoscience-engineering/)

 

A atividade de mineração, que hoje se encontra em expansão no Brasil, só é possível com ampla utilização de água no processo que vai da extração, beneficiamento e até por vezes no transporte dos minérios.

 

 

 

 

Klüber Lubrication apresenta novidades para a indústria de mineração na EXPOSIBRAM 2017

3.8.2017

Empresa do Grupo Freudenberg traz como lançamentos duas graxas lubrificantes de alto desempenho e apresenta palestra sobre ‘Eficiência e Inovação por meio da Digitalização’

 

 

Agosto, 2017 - A Klüber Lubrication, empresa do Grupo Freudenberg que desenvolve soluções para lubrificação industrial para vários segmentos de mercado, levará para a EXPOSIBRAM 2017 dois lançamentos exclusivos voltados para o segmento de mineração: as graxas lubrificantes de alto desempenho KLÜBERLUB EM 71-701 SAM e KLÜBERPLEX BE 91-502 SAM. O evento, um dos maiores neste segmento na América Latina, será realizado de 18 a 21 de setembro, no EXPOMINAS, em Belo Horizonte (MG). Além do portfólio de produtos, o estande da empresa também contará com a demonstração de um moinho de bolas em funcionamento com lubrificante especial.

 

Outro destaque fica por conta da apresentação de um conteúdo técnico altamente relevante para este setor. No dia 19 de setembro, às 19h30, na sala 8, o Gerente de Mercado para a Indústria Pesada, Francesco Lanzillotta será o palestrante do tema “Eficiência e Inovação por meio da Digitalização”. O executivo mostrará como a empresa já está preparada e aplicando a inovação para a Indústria 4.0, com as soluções de monitoramento online em Eficiência Energética, equipamentos e processos e a apresentação de um caso de sucesso comprovado na indústria de cimento.

 

Com isso, é possível fazer um trabalho preditivo a partir da coleta dos dados do cliente, em que a soma de histórico e inteligência aplicada resultam em economia de consumo, geração de créditos de carbono e sustentabilidade na operação.

 

De acordo com Lanzillotta, “estar presente em uma feira do porte da EXPOSIBRAM é muito importante, não só pela relevância, mas também pela oportunidade de contato e relacionamento com clientes. Por meio das novidades que trazemos e da solução de monitoramento que será o foco da palestra, podemos atender às principais demandas em termos de redução de custo e aumento de produtividade, críticas nos tempos atuais”, comenta.

  

Solucionando desafios de lubrificação industrial mais específicos

 

A KLÜBERLUB EM 71-701 SAM é uma graxa lubrificante para atrito de deslizamento, altas cargas e altas temperaturas, desenvolvida para atender às necessidades de lubrificação de réguas de selagem de máquinas e sinterização ou de máquinas de queima nas indústrias siderúrgicas e de mineração. É também uma opção para rodas de carros grelha e do resfriador, indicada em aplicações onde altas cargas e temperaturas estão constantemente presentes.

 

Com qualidade comprovada por análises laboratoriais, os benefícios de sua utilização incluem menor consumo em aplicações, alta bombeabilidade e resistência, proteção ao desgaste e maior durabilidade dos componentes.

 

Já a KLÜBERPLEX BE 91-502 SAM foi desenvolvida para atender a uma demanda específica de mercado, com a migração das graxas de lítio tradicionais para produtos de qualidade superior. É destinada a altas pressões e temperaturas, resistente à água e isenta de metais pesados. Sua utilização é ideal para rolamentos e mancais lisos de baixa a média velocidade e com um amplo campo de temperaturas de aplicação, com elevada aderência ao metal e alta resistência à água quente e vapor de água.

 

O desempenho apresentado em condições de elevadas cargas dinâmicas, inclusive a baixas velocidades de rotação, garante alto rendimento, graças à boa capacidade vedante, alta resistência ao arraste ocasionado por água e excelentes valores de estabilidade mecânica.

 

Entre os benefícios, destacam-se a alta resistência à ação da água, a propriedade de proteção anticorrosiva, a alta capacidade de selagem, vedação e proteção antidesgaste e a capacidade de impedir a contaminação da água de refrigeração. O KLÜBERPLEX BE 91-502 SAM pode ser utilizado na indústria siderúrgica, de mineração, papeleira, em acoplamentos, mancais lisos e rolamentos. Sua aplicação pode ser feita por meio de bomba manual, pneumática ou sistemas centralizados, sem risco de obstruções nas tubulações e distribuidores afetados por altas temperaturas.

 

Sobre a Klüber Lubrication

 

A Klüber Lubrication, empresa de origem alemã, presente em mais de 60 países, fornece soluções em lubrificação para assegurar o perfeito funcionamento e a preservação de elementos mecânicos de equipamentos para atividades industriais, como correntes, engrenagens, barramentos, contatos elétricos, rolamentos, válvulas, sistemas pneumáticos e hidráulicos. A empresa fornece graxas e óleos (sintéticos e minerais) para uma ampla gama de indústrias: automotiva, rolamentos, têxtil, siderúrgica, madeira, papel, bioenergia, energia eólica, alimentícia, fabricantes de equipamentos, mineração e cimento.

 

Presente no Brasil há mais de 40 anos, onde lidera o mercado em que atua, a empresa conta com uma equipe de 100 funcionários na unidade fabril em Alphaville (Barueri, SP) e em centros de serviços em diversas regiões; na América do Sul, está presente também na Argentina e no Chile. Seu sistema de gerenciamento de qualidade e meio ambiente é certificado pelas normas ISO 14.001, ISO TS 16.949, ISO 9001 e OHSAS 18.001.

 

 

Sobre o Grupo Freudenberg

 

A Freudenberg é um grupo de tecnologia global que fortalece seus clientes e a sociedade de forma duradoura por meio de inovações orientadas para o futuro. Junto com os seus parceiros, clientes e institutos de pesquisa, o Grupo Freudenberg desenvolve tecnologias de ponta e excelentes produtos e serviços para mais de 30 mercados e para milhares de aplicações. Forte inovação, intensa orientação ao cliente, diversidade e espírito de equipe são os pilares do Grupo. A empresa, com 168 anos, vivencia fortemente seus valores: compromisso com a excelência, confiabilidade, pró-atividade e ação responsável. Em 2016, o Grupo Freudenberg empregou mais de 48.000 pessoas em quase 60 países em todo o mundo e gerou vendas de aproximadamente € 8,6 bilhões. Para obter mais informações, visite www.freudenberg.com.

 

Entrevista – EXPOSIBRAM: “O eixo temático mais importante desta edição é focado em reputação da indústria mineral”

26.7.2017

 

O diretor de Assuntos Ambientais do IBRAM, Rinaldo Mancin, fala sobre as expectativas para a 17ª edição da EXPOSIBRAM e destaca os principais temas da programação do Congresso

 

A EXPOSIBRAM é um evento de grande importância que reúne vários nomes e entidades do setor mineral nacional e internacional. Quais são as suas expectativas para esta edição do evento?

 

A EXPOSIBRAM e o Congresso Brasileiro de Mineração são agendas que o IBRAM vem realizando há quase quatro décadas. São eventos consolidados e situados dentre os maiores do gênero no mundo mineral.

Atraem centenas de expositores de todo mundo, que vêm atrás de boas oportunidades de negócios aqui do Brasil. Da mesma forma, milhares de pessoas atendem ao Congresso de Mineração, que é um espaço tradicional de debate do presente e do futuro da indústria mineral brasileira. Grandes nomes nacionais e internacionais ligados ao setor estarão presentes.

 

Em relação às expectativas, queremos passar uma mensagem positiva da relevância do setor mineral e a sua capacidade de implantação de investimentos vultosos, que têm esses elevada capacidade de transformar as realidades locais, proporcionando a geração de empregos qualificados e de renda e expressiva, sem esquecer que os projetos da mineração empresarial são sempre desenvolvidos dentro de uma ótica moderna de sustentabilidade, com respeito às comunidades locais e sempre se buscando o uso consciente dos ativos ambientais, com a preocupação constante da gestão eficiente de riscos.

 

O evento, por todas as edições anteriores, se consolida como um dos mais importantes encontros internacionais dedicados à mineração e atividades ligadas ao setor. Para este ano, quais os principais destaques da programação?

 

Nesta edição de 2017 estamos apostando em múltiplos temas, alguns em parceria com entidades de referência nos temas. Destacaria:

a) O painel sobre Mineração e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), em parceria com o PNUD e a Universidade de Columbia (NY);

b) O painel Barragens de Mineração – evolução da gestão de segurança, em aliança com a Universidade de British Columbia, de Vancouver, Canadá;

c) O painel Emergências e desastres: estratégias para a preparação e resposta voltadas ao setor de mineração, em parceria com o Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres (CEPED), da Defesa Civil do Paraná;

d) Um talk-showsobre reputação da indústria mineral, com a participação de grandes nomes nacionais e internacionais.

Qual o eixo temático mais importante na edição 2017 da EXPOSIBRAM? Por quê?


O carro chefe é focado em reputação da indústria mineral. Será muito importante tratar o assunto durante o nosso congresso.  Refletir sobre a reputação da mineral será fundamental para buscarmos melhoria nos relacionamento com todos os stakeholders da mineração.  Convidaremos experts no tema bem como representantes das mineradoras para discutir o tema reputação do setor mineral.


Um Olhar sobre o Futuro da Mineração é o tema desta 17º edição do Congresso. Qual sua análise para os  próximos anos do setor mineral?


A sociedade precisa conhecer melhor a mineracão, especialmente da sociedade brasileira, e este é nosso maior desafio, ou seja, desmistificar o setor  torná-lo mais conhecido, aproximar a mineração das pessoas em seu dia-a-dia. São poucos os que percebem os minérios estão presentes em suas vidas, do despertar ao adormecer, do nascimento à morte. Um caso curioso é da economia verde, especialmente com o uso de carros elétricos, novas formas de geração de energia, como painéis solares, fotovoltaicos, a nova geração de baterias que vai mover o mundo e gerar poucas emissões de CO2. Poucos se dão conta que este futuro de energia limpa, ao contrário do que se pode pensar, vai demandar mais minérios, a atividade mineral precisará ser intensificada para atender à toda esta demanda e não reduzida.  A mineração é a base de todas as outras indústrias.  Somos a indústria das indústrias.  Sem os insumos da mineração é impossível produzir outros bens de consumo, inclusive a agricultura.


Para além deste ponto, o acesso a novos territórios minerais, o relacionamento com as comunidades, os conflitos no uso de recursos naturais, em suma, a “licença social para operar” está cada dia mais complexa, desafiadora e irá demandar das mineradoras mais criatividade, mais transparência, mais integração com a sociedade.


Pode-se dizer que eventos do porte da EXPOSIBRAM tenha potencial de levantar os ânimos do empresariado?


Sem dúvida alguma podemos afirmar isto. O nosso maior indicador é que o expositor que vem para a EXPOSIBRAM sempre avalia de forma muita positiva o evento e sempre quer voltar para expor na próxima edição.


Como já disse anteriormente, a EXPOSIBRAM é um dos maiores eventos mundiais do mundo da mineração. Assim todos aqueles que atuam na cadeia produtiva da mineração em seus olhos voltados para o evento brasileiro, pois as potencialidades minerais aqui no Brasil são imensas.


O Brasil tem um enorme potencial geológico. Como o país pode se tornar mais atraente para investidores no setor de mineração em todo o mundo? A EXPOSIBRAM pode ajudar neste sentido?


A segurança jurídica é elemento crucial para a atração de investimentos, pois em mineração esses são realizados sempre no longo prazo. Assim, ter a certeza de que as regras do jogo não vão mudar é fundamental. Contudo, ainda temos problemas com o licenciamento ambiental, pois em muitos casos seu timing não acompanha o tempo de implantação dos projetos, os cronogramas são furados e os custos do projeto acabam sendo elevados.


Outro ponto importante é a legislação trabalhista brasileira, uma das mais complexas do mundo e de elevados custos para as empresas. Cito à legislação aplicada à minas subterrâneas, que vem dos anos 1940 e não acompanhou a evolução em termos de segurança e ambiente de trabalho que foi vista nos últimos 70 anos. Uma evolução, rumo à sua desoneração e à flexibilização fariam bem ao país, ia permitir atrair mais investimentos.


A EXPOSIBRAM sempre foi o espaço de discussão de tais desafios. A classe política e empresários se encontram no evento e debatem de forma livre o panorama do setor e perspectivas. O evento sempre proporciona também um bom acesso à mídia nacional e internacional, de forma que as posições defendidas pelo setor mineral podem ser propagadas à sociedade facilmente.


Qual a principal mensagem que o senhor poderia deixar para os participantes desta edição  da EXPOSIBRAM?


Venham participar de um dos maiores eventos da indústria mineral no mundo. Vamos mostrar à sociedade a força da mineração brasileira!

 

 

EXPOSIBRAM 2017: Inscrições abertas

15.7.2017


Estão abertas as inscrições para o 17º Congresso Brasileiro de Mineração, encontro realizado simultaneamente à Exposição Internacional de Mineração (EXPOSIBRAM). Promovido pelo Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), o evento ocorrerá este ano, entre os dias 18 e 21 de setembro, em Belo Horizonte (MG).


As taxas de inscrição variam conforme categorias e prazos de pagamento. Associados e não associados ao IBRAM, professores ou estudantes universitários e profissionais seniores encontram melhores preços antecipando pagamento pela internet. É possível ainda efetuar inscrição pela web via cartão de crédito ou boleto bancário até 14 de setembro. Após essa data, só serão aceitos registros no local do evento.


O Congresso Brasileiro de Mineração reúne entre 1.500 e 2.000 congressistas a cada edição. A pauta das palestras leva em conta o contexto político e socioeconômico global, bem como as perspectivas dos negócios para as próximas décadas anunciadas pelas mineradoras. Para dinamizar os debates, o IBRAM estabelece uma programação que conta com palestras magnas, workshops, talk shows, entre outras.


O evento, que possui tradução simultânea em todas as sessões do Congresso, exceto nas palestras técnicas, receberá as principais lideranças nacionais e internacionais do setor mineral, além de autoridades dos governos federal, estaduais e municipais, comunidade acadêmica e sociedade civil.


Exposição Internacional de Mineração


Paralela ao Congresso, a EXPOSIBRAM contará com uma área de 15 mil m2 nos quais serão distribuídos diversos estandes de mineradoras com atuação mundial e de grandes fornecedores de produtos e serviços. Serão mostradas inovações tecnológicas, equipamentos, softwares e outros produtos ligados à indústria mineral.


A feira se destaca como um centro de oportunidades já que muitas empresas organizam lançamentos de projetos, firmam parcerias, fecham negócios e estabelecem contatos, fortalecendo sua imagem nesse importante mercado. A expectativa é que, durante os quatro dias de exposição, mais de 50 mil pessoas visitem o local.

 

 

EXPOSIBRAM 2017: divulgue seus produtos e serviços na maior exposição de mineração da América

10.6.2017

 

Considerada uma das maiores exposições de mineração da América Latina, a EXPOSIBRAM conta com 13 mil m² de estandes, nos quais estão representadas as principais mineradoras com atuação global e grandes fornecedores de produtos e serviços

 

A cada dois anos a cidade de Belo Horizonte (MG) torna-se um grande centro de debates e palco de negócios sobre o setor mineral com a EXPOSIBRAM e o Congresso Brasileiro de Mineração. Organizada pelo Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), com o patrocínio de grandes empresas ligadas a mineração, a EXPOSIBRAM é atualmente a maior vitrine para empresas gerarem grandes negócios.

Em 2017 o evento entra em sua 17ª edição , a ser realizada entre os dias  18 a

21 de setembro no Centro de Feiras e Exposições George Norman Kutova ( EXPOMINAS).

Considerada uma das maiores exposições de mineração da América Latina, a EXPOSIBRAM conta com 13 mil m² de estandes, nos quais estão representadas as principais mineradoras com atuação global e grandes fornecedores de produtos e serviços. No espaço, serão apresentadas as principais novidades em tecnologia, equipamentos, softwares e outros produtos ligados à Indústria Mineral, além de dados sobre investimentos e gestão. Não fique de fora deste mega evento.

 

Realizado em paralelo à Exposição, o Congresso Brasileiro de Mineração é um grande revelador de tendências desse importante segmento produtivo e atrai  cerca de dois mil participantes entre especialistas, pesquisadores, estudantes e representantes de empresas. A pauta das palestras leva em conta o contexto político e socioeconômico global, bem como as perspectivas dos negócios para as próximas décadas anunciadas pelas mineradoras. Além disso, o congresso debate com as lideranças nacionais e internacionais os desafios e também as novas tendências de incremento da sustentabilidade social do setor mineral.

 

A expectativa é que durante os quatro dias de evento circulem cerca de 50 mil pessoas nos dois eventos.

 

Garante já seu espaço!  Associe sua marca a um dos mais importantes eventos de mineração do mundo. Conheça as formas de patrocínios e merchandising. Para mais informações www.exposibram.org.br.

 

 

 

IBRAM SEDE
SHIS QL.12 Conjundo 0(Zero) Casa 04 - Lago Sul - CEP: 71.630-205 - Brasilia/DF
Tel.: (61) 3364-7272 / (61) 3364-7200 - ibram@ibram.org.br

 

IBRAM-MG
Rua Alagoas, 1270, 10º andar- Funcionários - Belo Horizonte/MG
CEP: 30130-160 - Tel.: (31) 3223-6751

 

IBRAM-AMAZÔNIA
Travessa Rui Barbosa, 1536 - B. Nazaré-Belém/PA
CEP: 66035-220-Tel.: (91) 3230-4066 - Fax: (91) 3349-4106

Anglo American comemora 100 anos na Exposibram 2017 e faz um convite: como é a Mineração que você quer ver?